Don Divo Barsotti

Arquivo do blog

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

domingo, 16 de fevereiro de 2020

Don Divo Barsotti, A sacralidade de todas as coisas


português inglês alemão francês espanhol italiano neerlandês polaco russo

Image result for don Divo Barsotti

"Por Cristo, com Cristo e em Cristo": é a dimensão "eucarística" da vida que pode ser realizada também nos dias ordinários de um cristão, uma implementação do mandato final: "Ite, Missa est".
A "doxologia final" (do grego "doxa" - glória) a que Dom Divo se refere nas páginas iniciais de seu livro, é a que o sacerdote pronuncia na Santa Missa, no final da oração eucarística:

"Por Cristo com Cristo  , em Cristo, a Vós, Deus Pai Todo-Poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda honra e toda glória pelos séculos dos séculos".
É a oração que acontece enquanto o celebrante levanta o Pão e o Vinho consagrados, e a assembleia, no final da doxologia, responde "AMEN".
O que, então, dá a maior glória a Deus?
Oferecer ao Filho, no Sacrifício perfeito, unir-nos, nesse mesmo sacrifício: "Rezai, irmãos, para que o meu sacrifício e o vosso sejam agradáveis a Deus, Pai Todo-Poderoso", proclama o Sacerdote na apresentação dos dons.

Uma vida vivida "com Cristo" torna-se uma vida na qual se redescobre a "sacralidade de todas as coisas" e na qual o Esposo vem verdadeiramente todos os dias, todos os momentos, em todas as acções bem ordenadas, em tudo e em todos, porque "se acreditamos, tudo é sinal de Deus".


"O MEU DIA COM CRISTO" 
don Divo Barsotti 


"Na Missa há uma expressão entre as mais ricas em conteúdo teológico e espiritual, assim como, por outro lado, uma das mais importantes; de fato, ela fecha o Cânon, e ao fechar o Cânon nos diz em poucas palavras o que é a Missa.
Como a Missa é a própria presença do acto redentor que resume todas as coisas, esta expressão ensina-nos o que é a vida espiritual, a nossa própria vida, ensina-nos como devemos vivê-la e para que fim devemos vivê-la.
Per Ipsum et cum Ipso et in Ipso, est tibi, Deo Patri Omnipotenti, in unitate Spiritus Sancti, omnis honor et gloria.
Por Ele, com Ele e n'Ele,  a Vós, Deus Pai Omnipotente, na unidade do Espírito Santo, toda honra e glória.
Fim da Missa e de toda a vida: toda a honra e glória ao Pai na unidade do Espírito, mas através da mediação de Cristo. Por Cristo, com Cristo, em Cristo.
Porque Cristo não significa que se vive para o nosso Senhor, mas que se vive através do nosso Senhor.
Toda a nossa vida, entretanto, é sobrenatural, é uma vida verdadeiramente de graça, porque tira de Cristo o seu poder divino: é por Cristo que vivemos voltados para o nosso Pai Celestial.
Mas não vivemos voltados para o Pai Celestial, a menos que vivamos com Cristo e por Ele.
E nossa vida sobrenatural será perfeita quando vivermos para o Pai Celestial estando em Cristo, um com Ele, tão unidos a Cristo que nos identificamos com Ele de alguma forma.
O progresso da vida espiritual está precisamente nestas três pequenas preposições: per, cum, in. (pp. 9-10)

"Não podemos pensar em viver a nossa vida cristã e muito menos em alcançar a santidade, do que colocar-nos ao serviço de algo, de alguém, engajando-nos em um trabalho, trabalhando.
Não se vive para vegetar sozinho. 
Ser santos não significa multiplicar nossas orações, fazer muitos actos de mortificação: significa cumprir nosso dever até o fim, responder à vontade divina com todo nosso ser, na dedicação total de toda nossa vida. 
Nosso Senhor está nos chamando para nos enviar à Sua vinha.
Você será capaz de realizar o trabalho mais humilde, mais escondido, mais aparentemente insignificante, e no entanto é a partir do seu trabalho, que parece de tão pouca importância, que o trabalho dos outros também adquire a sua capacidade, a sua eficácia.
Se você parar uma roda, tudo pára: talvez seja uma roda pequena que pára guinchos grandes e imensos.

Jesus trabalhou, e nós trabalhamos com Ele.

Don Divo Barsotti, Viver na presença de Deus



terça-feira, 22 de janeiro de 2019



VIVERE ALLA PRESENZA DI DIO
"miei cari fratelli, quante volte vi ho detto che l'esercizio fondamentale della vita cristiana è l'esercizio della Presenza di Dio.
Ma che vuol dire esercizio della Presenza di Dio?
Se la presenza di Dio fosse un fatto oggettivo, dipendesse soltanto dal fatto che io penso al Signore, sarebbero sciocchezze, perché vorrebbe dire che noi vivremmo soltanto di fantasie, di sogni.
No: Vivere l'esercizio della divina presenza di Dio vuol dire realizzare talmente la nostra fede da avere la percezione di questa Presenza, che è la  Presenza reale, più reale di questo mondo.
La realtà di questo mondo è ombra e immagine nei confronti della realtà divina. Certo, come si diceva del resto ieri, la nostra esperienza è legata troppo ai sensi, questa esperienza sensibile è troppo rozza, e s'impone in modo cosi forte a tutto l'essere nostro che tante volte l'esperienza spirituale quasi non l'avvertiamo, e tutto basta a distrarcene e tutto basta ad allontanarci da questa. Ma noi, se siamo cristiani, dobbiamo invece fare in modo che liberandoci dalla schiavitù puramente sensibile e puramente psicologica, viviamo in questa divina Presenza.
Noi siamo compagni degli angeli, noi siamo compagni dei santi, ci dicono le Sacre Scritture. Siamo i compagni degli angeli perché viviamo con loro dinanzi al Volto di Dio, perché siamo con loro in Cristo Gesù e partecipiamo della Sua medesima vita, che è la lode del Padre. Noi dobbiamo vivere questo."
Don Divo Barsotti - Casa S. Sergio, 1987

Don Divo Barsotti - Casa S. Sergio, 1987


Viver na presença de Deus

" meus queridos irmãos, quantas vezes eu vos disse que o exercício fundamental da vida cristã é o exercício da presença de Deus.

Mas o que quer dizer exercício da presença de Deus?
Se a presença de Deus fosse um fato objectivo, dependesse somente do fato de que eu penso no Senhor, seria bobagem, pois gostaria de dizer que nós viveríamos somente de fantasias, de sonhos.

Não: viver o exercício da divina presença de Deus quer dizer realizar  a nossa fé por ter a percepção desta presença, que é a uma presença real, mais real que este mundo.

A realidade deste mundo é sombra e imagem em relação à realidade divina. Claro, como se dizia sobre o resto ontem, a nossa experiência está ligada demais aos sentidos, essa experiência sensível é muito grosseira, e se impõe de forma tão forte a todo o ser nosso que tantas vezes a experiência espiritual quase não o avisamos .   Mas nós, se somos cristãos, devemos, em vez disso, fazer com que se abana da escravidão puramente sensível e puramente psicológica, vivemos nesta divina presença.

Nós somos companheiros dos anjos, nós somos companheiros dos Santos, nos dizem as escrituras sagradas. Somos os companheiros dos anjos porque vivemos com eles perante o rosto de Deus, pois estamos com eles em Cristo Jesus e participamos da sua própria vida, que é o louvor do pai. Nós temos que viver isso."

Dom Divo Barsotti - Casa s. Sérgio, 1987

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

JESUS CHRIST lecture given by Don.Divo Barsotti



português inglês alemão francês espanhol italiano neerlandês polaco russo

Image result for don Divo Barsotti


At the School of Catholic Culture - Bassano del Grappa, 23 October 1989
(Transcription not revised by the speaker)
To speak of Jesus Christ is to make the transcendence of Christianity over every human religion. It means talking about the fulfillment of every aspiration and every divine plan. Therefore, the Second Vatican Ecumenical Council already said that all religions are an "evangelical preparation" because the whole history of the world is nothing but the gestation of Christ. History has no other content than this gestation: from all the dreams, all the tribulations, all the difficulties of humanity must rise slowly, emerge the figure of Christ Jesus. It is all the earth that must give its fruit in him and it is precisely in giving its fruit that the present economy will come to an end.
Just as the Heavenly Father generates the Son and in the generation of the Son exhausts his infinite fruitfulness, so the history of the world is exhausted and finds an end when from all Creation the fruit of all the earth will emerge: Jesus Christ.
Then to speak of Christ would mean speaking of the whole life of the universe, it means understanding the meaning of the whole of history, it means knowing what is truly the heart of the world and is wider than the world. Let us begin then.
There has been talk of an "evangelical preparation": we must say that Christianity is the religion that all transcends and is the only true one, because we must begin with what is Christian dogma. Other religions cannot conceive a direct relationship with God without losing the true concept of God. If God is infinite transcendence can a creature ever enter into a relationship with Him? If God is relationship with the creature then this is no longer a creature, it must be a form of God: it is the form in which Islamism falls.
Or it is what Hinduism teaches us: we are all waves of the same sea, there is no longer any qualitative difference between the creature and the Creator because there is no creature. There is only God who manifests Himself in the multiplicity of forms.
But in this concept God no longer exists. If I have a notion of God, I must think that between the creature and the Creator the abyss is infinite and impassable. God lives an infinite and eternal solitude. God is unique and his uniqueness places him at an infinite distance from every creature. There is no less distance between a stone and God than there is between an angel and God, because the distance is infinite.
But then how to live this relationship?
How is a religion possible?
It has been said: the only way to live a religion would be to believe that everything is one. You are that. But I don't feel like God, I'm not God. I am neither omnipotent nor omniscient: I am a poor creature of one day. How will I live my relationship with God?
Then in Judaism God speaks to man, in Islam God speaks to man through the Koran and the Koran is eternal like God.
But precisely the word may mean the will of God, but it is not yet God; the word says the relationship with the thing. If God speaks to me, God's word is not God: it communicates, it promises, nothing more. In fact, the prophetic word in the Old Testament is prophecy, it is the announcement of what is to come, and in this respect then, the Old Testament is really preparation for Christ: everything prepares him, everything announces him, everything in some way anticipates him.
As far as Islam is concerned, since the word of the Koran is not prophetic, the word of God is only law and religious life is identified in pure juridicalism. Doing what God has said puts you in the condition of being approved by Him, but there is no union with God. There have been mystics in Islam who have been martyred precisely because they thought they could love God and, worse still for them, that God could love man. Between God and man the abyss remains, so much so that Mohammed himself according to Islamic thought, when he is brought towards God, he must stop at a stone throw from Him, because he cannot approach. Man and God cannot meet. The psalmist says: "If God touches the mountains, the mountains smoke". Can the creature bear the weight of divine glory? Then what does the legal religion promise man? Salvation? It cannot be a salvation only the promise of gardens with gushing waters, it cannot be a salvation of man only black-eyed maidens. It cannot be that!
God can be relationship with man because relationship in himself: this is the first great truth of Christianity. God is not a non-living God, a dead God, he is a living God.
If he is a living God, he is a loving God. But love supposes the lover and the beloved, knowledge supposes one who knows and the thing known and in God there is precisely this possibility because even though He is One in nature He is Triune in the person. The Father communicates everything to the Son, the Son communicates himself to the Father and lives in this eternal communion. READ...

Don Divo Barsotti: só a santidade salvará a Igreja

  english inglês alemão francês espanhol italiano neerlandês polaco russo




 No meio do oceano de confusão que reinou no pós-Vaticano II, o Espírito Santo enviou alguns sentinelas para iluminar os católicos, um dos quais era Don Divo Barsotti.


por Lorenzo Bertocchi (14-07-2017)

de: Post Council Sentinels, Cantagalli, Siena.

Há homens de fé capazes de falar claramente, esquivos, autenticamente contra a corrente, não por afetação ou orgulho, mas profundamente livres. Assim se pode dizer de Don Divo Barsotti considerado um grande místico do século XX, fundador da Comunidade dos Filhos de Deus, incansável buscador da Verdade e capaz de despertar espíritos adormecidos se fossem rotulados de "direita" ou "esquerda". Nisso talvez um certo papel terá desempenhado o seu "temperamento toscano", aquele personagem que o Card. Biffi - um admirador de Barsotti - definiu-o como "intolerante a mal-entendidos e amante de posições claras "1.

Como prova de sua liberdade de pensamento e de ação, pode-se recordar sua profunda amizade com La Pira, a relação não fácil com Dossetti, o intenso encontro com Von Balthasar e as palavras escritas no prefácio de um ensaio sobre a obra de Romano Américo: "Vejo o progresso da Igreja a partir daqui, do retorno à Verdade Santa na base de cada ato "2. Estas palavras escritas com a idade de 91 anos, pouco antes da sua morte, em Fevereiro de 2006, são de grande significado também para resolver a questão da "renovação em continuidade" como chave interpretativa do Concílio Vaticano II e provavelmente representam a última advertência da "sentinela".


Don Divo Barsotti
A figura de Dom Barsotti se oferece em toda a sua complexidade: místico, homem de letras, teólogo, monge, missionário, poeta, sacerdote, sua vida tem sido tudo isso, uma vida atravessada pela busca contínua da vontade de Deus e, portanto, santamente perturbada. Num relance, sua existência aparece dividida por uma porta a ser atravessada, uma passagem mística pela qual o visível se comunica com o invisível, de alguma forma fisicamente representado pela porta da Casa de São Sérgio nas colinas de Florença, o coração da Comunidade que ele fundou e onde hoje descansam seus restos mortais.   Para ler...

Images of Icons of Mt Sinai Available Online



The images are available for free for non-commercial and educational purposes, and permission may be granted for other purposes.

To browse the collection follow the link here.

“Abraham, Isaac, and Jacob,” The Sinai Icon Collection, http://vrc.princeton.edu/sinai/items/show/7216.
When I was searching through the collection, this one caught my eye. The only information I have about it is in the citation. The draughtsmanship is exquisite; I am thinking here especially of the delicate flowing lines that describe the head and facial features. This is something that should be studied by those wishing to learn iconography; the manner in which it conforms to the stylistic prototype makes the figures anatomically sound. If you look at the length of the forearm, for example, there is a foreshortening effect caused by the fact that the elbows of the patriarchs are tucked into their hips, and are some way behind the hands.

I encourage people to explore this treasury of images.





The Sinai Icon Collection

Browse Items (1294 total)






Querida Amazonia mudou no último momento. Querida Amazonia cambió en el último momento . La Querida Amazonia a changé au dernier moment. Querida Amazonia zmieniła się w ostatniej chwili . Кверида Амазония изменилась в последний момент.




Querida Amazonia mudou no último momento
Fontes no Vaticano disseram a Caminante-Wanderer.Blogspot.com (12 de fevereiro) que a Amazônia Querida foi reescrita após a publicação do livro de Ratzinger/Sarah . sobre o celibato. O livro tem "...





Querida Amazonia: consecuencias de una revolución fallida

Frenazo a los viri probati. Fracaso del Sínodo para la Amazonía. Abierto desacuerdo con los obispos germano-amazónicos. En estos tres puntos se sintetiza la dinámica iniciada por la exhortación postsinodal del papa Francisco Querida Amazonia, presentada hoy, 12 de febrero de 2020.
Querida Amazonia cambió en el último momento

Fuentes del Vaticano dijeron a Caminante-Wanderer.Blogspot.com (12 de febrero) que la Amazonia Querida fue reescrita después de la publicación del libro de Ratzinger/Sarah sobre el celibato. El libro tiene...


La Querida Amazonia a changé au dernier moment

Des sources au Vatican ont déclaré à Caminante-Wanderer.Blogspot.com (12 février) que l'Amazonie Querida a été réécrite après la publication du livre de Ratzinger/Sarah sur le célibat. Le livre a "...



Querida Amazonia zmieniła się w ostatniej chwili

Źródła w Watykanie powiedziały Caminante-Wanderer.Blogspot.com (12 lutego), że Querida Amazonia została przepisana po publikacji książki Ratzingera/Sarah o celibacie. Książka ma "...

Кверида Амазония изменилась в последний момент.

Источники в Ватикане сообщили Caminante-Wanderer.Blogspot.com (12 февраля), что Кверида Амазония была переписана после публикации книги Ратцингера/Сары о безбрачном сожительстве. В книге есть "...