Don Divo Barsotti

Arquivo do blog

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Irmãos de Jesus Misericordioso - Contemplativos

ESPIRITUALIDADE

A espiritualidade dos Irmãos de Jesus Misericordioso - Contemplativos é a vivência dos valores cristãosiluminada pelo Evangelho e baseada nos escritos espirituais de Santa Faustina Kowalska e do Beato Miguel Sopocko. Tem o objetivo de conduzir o consagrado a intimidade com Jesus Misericordioso e transformá-lo em um ícone de misericórdia para o mundo.



A vida de oração diária é constante, especialmente na Hora da Misericórdia (às 15 horas), momento auge da plena confiança em Deus que nos chama para, com Jesus Misericordioso, tomar parte na obra de Sua redenção.

“Procuro a santidade, porque serei útil à Igreja. Faço contínuos esforços na pratica das virtudes, tentando imitar fielmente a Jesus, a essa série de vitoriosas virtudes diárias, ocultas, quase imperceptíveis, mas cumpridas com grande amor, eu as deposito no tesouro da Igreja de Deus, para o proveito comum das almas. Sinto interiormente como se eu fosse responsável por todas as almas. Sinto muito bem que não vivo só para mim, mas para toda a Igreja...”
(Diário de Santa Faustina n. 1505).

Rezamos todas as horas do Ofício Divino, conforme pede a Mãe Igreja para os que se dedicam à vida contemplativa monástica. Cultivamos a vivência diária da Santa Missa, da prática da Lectio Divina, leitura espiritual, oração do Terço Mariano, Terço da Divina Misericórdia, bem como a Adoração ao Santíssimo Sacramento.                                                                                  


Para vivermos esta espiritualidade, temos como nossos baluartes, isto é, como protetores e modelos:
(Conheça-os, clicando sobre seus nomes)

Nossa Senhora Mãe da Misericórdia
Glorioso São José

Santa Faustina

Beato Miguel Sopocko
São João Paulo II

Santa Teresa de Calcutá
Santos Arcanjos
Gabriel, Rafael e Miguel

“DEUS NOS SALVOU E NOS CHAMOU COM UMA VOCAÇÃO SANTA” (2 TM 1,9A).

AGOSTO 28, 2018

Com alegria, partilho com vocês a graça te der sido chamado por Deus a uma vocação santa, não devido às “minhas” obras, mas em virtude do seu desígnio e da sua graça, que “me” foi dada em Cristo Jesus desde toda a eternidade (cf. 2 Tm 1, 9). Não diferente de muitos, Deus me chamou à vida no seio de uma família, tornou-me seu filho pelas águas do batismo, para que livre do pecado original vivesse no seguimento de Jesus; nutriu-me com os Sacramentos da Eucaristia e da Confirmação, fazendo com que me tornasse templo vivo do Espírito Santo, como todos aqueles que receberam os Sacramentos da iniciação Cristã que, marcados pelo caráter destes sacramentos, “ficam mais perfeitamente unidos à Igreja” e “mais estreitamente obrigados a difundir a fé por palavras e atos, como verdadeiras testemunhas de Cristo” (AG 11).

No entanto, fui sentindo que Deus me chamava a “algo mais”, a uma oferta de vida mais “radical”. Fiz acompanhamento vocacional com os Padres Marianos - pelos quais tenho profunda admiração e gratidão - e fui admitido ao postulantado. Em pouco tempo, discerni que Deus me chamava à vida contemplativa. Foi então que decidi ingressar nos Irmãos de Jesus Misericordioso (Contemplativos), do Mosteiro da Divina Misericórdia, localizado em Lucélia (SP). No mosteiro vivi as etapas formativas: fui aspirante, postulante, noviço, professo simples, e no ano de 2017, em nossa Casa Geral, na Itália, fiz os votos perpétuos.

Neste ano de 2018, no dia 30 de abril, às vésperas do dia de São José Operário, junto a 8 seminaristas diocesanos, na Igreja de São José, da cidade de Osvaldo Cruz (SP), fui ordenado diácono. Dom Luiz Antônio Cipolini, nosso bispo diocesano de Marília (SP), presidiu a Santa Missa de ordenação e, pela imposição de suas mãos e oração consecratória, nos tornamos diáconos.

Motivo de grande alegria para nós e, para mim, particularmente, data muito significativa e providencial, recordávamos, naquele dia, os 18 anos da canonização de Santa Faustina Kowalska, por São João Paulo II. Ela, que tanto rezou pelas almas eleitas, certamente intercedeu junto a Deus por este momento. Para mim não há dúvida, pois em minha caminhada muito pedi seu auxílio, me valendo do que disse Jesus a ela: “Faze o que te aprouver, distribui  graças  como quiseres, a quem quiseres e quando quiseres” (Diário n.31).

Aproveito oportunidade para vos pedir orações pela minha ordenação sacerdotal, que se realizará no dia 16 de novembro, dia de Nossa Senhora Mãe da Misericórdia, na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, de Adamantina (SP), minha paróquia de origem.

Rezem sempre pelas vocações religiosas e sacerdotais. Se você conhece algum jovem que está em discernimento vocacional, ajude-o. Ou, se você jovem, solteiro, sente seu coração aquecer somente ao ler um pouco da minha história, sem medo, pergunte a Jesus o que Ele deseja de você. 

Unidos em oração.

Diácono Irmão Gabriel Maria Mãe da Misericórdia, FGMC.