Arquivo do blog

sábado, 1 de outubro de 2016

SANTA TERESINHA :“Quisera que a alma do sacerdote se parecesse com um serafim celestial”.

SANTA TERESINHA E OS SACERDOTES

Amar a todos os seres criados era o que ela aprendeu com seus pais. Seu pai era admirador da natureza, pois, ela mostra o poder, a glória e o amor de Deus Pai e criador. Teresinha tinha uma “alma Franciscana”, mas o amor maior era para os seres humanos. Teresinha amava a todos com o amor de misericórdia.
Amava muito os pecadores. Se oferecia como vítima da misericórdia. Rezava pela salvação deles. Teresinha tinha grande veneração para com os sacerdotes que ela chama de sal da terra. Sempre rezava por eles, achava que os sacerdotes eram santos, com alma de querubins, alma angelical, alma pura, transparente como cristal. Era um pouco ingênua! Nem todos são tão santos angelicais!
Com mais idade percebeu que os sacerdotes tinham falhas, pecados. Há os menos santos, e até grandes pecadores. Na viagem para Roma viu de tudo: padres santos, bons e padres não dignos de sua vocação, de seu sublime carácter.
“Quisera que a alma do sacerdote se parecesse com um serafim celestial”.
Vendo seus defeitos, não se escandalizou, mas passou a interceder por eles mais ainda. Dizia: “se os padres santos, que Jesus chama sal da terra necessitam extremamente de oração, que se deve dizer dos que são tíbios, mornos, relaxados!” (precisam muito mais).
Teresinha gostaria até de ser sacerdote para celebrar com muito amor a Eucaristia, e para ser missionária pelo mundo a fora. Conformou-se em não ser Padre vendo a atitude de São Francisco de Assis que não se considerou digno de ser ordenado sacerdote.
Teresinha dizia que queria ajudar os sacerdotes até depois de sua morte. E como ajuda!!!…
Por isso que os sacerdotes, em geral, têm tanto amor e devoção à Santa Teresinha do Menino Jesus, “vim para o Carmelo para salvar almas, e sobretudo, afim de rezar pelos Padres”!
Pe. Henrique Sebastião Demartini, CSsR