Don Divo Barsotti

Arquivo do blog

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

Don Divo Barsotti: só a santidade salvará a Igreja

  english inglês alemão francês espanhol italiano neerlandês polaco russo




 No meio do oceano de confusão que reinou no pós-Vaticano II, o Espírito Santo enviou alguns sentinelas para iluminar os católicos, um dos quais era Don Divo Barsotti.


por Lorenzo Bertocchi (14-07-2017)

de: Post Council Sentinels, Cantagalli, Siena.

Há homens de fé capazes de falar claramente, esquivos, autenticamente contra a corrente, não por afetação ou orgulho, mas profundamente livres. Assim se pode dizer de Don Divo Barsotti considerado um grande místico do século XX, fundador da Comunidade dos Filhos de Deus, incansável buscador da Verdade e capaz de despertar espíritos adormecidos se fossem rotulados de "direita" ou "esquerda". Nisso talvez um certo papel terá desempenhado o seu "temperamento toscano", aquele personagem que o Card. Biffi - um admirador de Barsotti - definiu-o como "intolerante a mal-entendidos e amante de posições claras "1.

Como prova de sua liberdade de pensamento e de ação, pode-se recordar sua profunda amizade com La Pira, a relação não fácil com Dossetti, o intenso encontro com Von Balthasar e as palavras escritas no prefácio de um ensaio sobre a obra de Romano Américo: "Vejo o progresso da Igreja a partir daqui, do retorno à Verdade Santa na base de cada ato "2. Estas palavras escritas com a idade de 91 anos, pouco antes da sua morte, em Fevereiro de 2006, são de grande significado também para resolver a questão da "renovação em continuidade" como chave interpretativa do Concílio Vaticano II e provavelmente representam a última advertência da "sentinela".


Don Divo Barsotti
A figura de Dom Barsotti se oferece em toda a sua complexidade: místico, homem de letras, teólogo, monge, missionário, poeta, sacerdote, sua vida tem sido tudo isso, uma vida atravessada pela busca contínua da vontade de Deus e, portanto, santamente perturbada. Num relance, sua existência aparece dividida por uma porta a ser atravessada, uma passagem mística pela qual o visível se comunica com o invisível, de alguma forma fisicamente representado pela porta da Casa de São Sérgio nas colinas de Florença, o coração da Comunidade que ele fundou e onde hoje descansam seus restos mortais.   Para ler...