Don Divo Barsotti

Arquivo do blog

sábado, 1 de fevereiro de 2020

DON DIVO BARSOTTI, O CAMINHO DA PURIFICAÇÃO . O MISTÉRIO DA VISITAÇÃO

O primeiro desafio da fé são as provações de Deus. Ele escreve: "Deus não porque nos ama, nos persegue e nos tortura, mas porque nos ama e quer que sejamos como Ele mesmo". É este o significado das provas?
Na verdade, não se pode pensar que Deus nos ama se Ele nos sujeita a provações e dificuldades na vida. Mas, em Seu plano, são estas que nos permitem crescer em virtude e santidade. Elas envolvem a superação de nós mesmos e a purificação dolorosa. Deus não quer a nossa purificação como tal, mas não a exclui para nosso bem, porque nos libertamos de todos os tentáculos que nos prendem ao nosso amor próprio, à nossa vaidade, à nossa sensibilidade doente. Portanto, ele não nos tortura porque nos ama, mas porque nos ama, ele nos purifica de tudo o que nos afasta dele, para que sejamos cada vez mais capazes de aceitar o seu dom de amor.
E acrescenta: "Nós não acreditamos que Deus possa nos isentar da nossa purificação total. Mas como é que encaramos isso?
Deus, portanto, não nos dispensa da nossa purificação total. Ele não pode tolerar qualquer imperfeição voluntária em nós. Daí a necessidade de uma purificação total para todos os santos. Para aqueles que não o conseguiram na terra, ele ocorre no purgatório após a morte. Em vez disso, o grau de caridade que alcançamos aqui em baixo permanece para sempre. A diferença entre um santo e outro reside precisamente no diferente grau de caridade alcançado por eles. Então pergunta-me como devo lidar com a purificação. No início é você quem, conhecendo o seu pecado, deve se esforçar para se livrar dele. A graça de Deus te ajuda, mesmo que te pareça que estás sozinho na luta contra ti mesmo. É por isso que a purificação é cansativa e também dolorosa. O próprio Deus nos purifica como um fogo ardente. Quanto mais perfeita for a purificação, mais passiva ela é. É Deus quem purifica totalmente o homem.
"O amor de Deus é um amor que não pode fechar os olhos". Foi por isso que Santa Teresa de Ávila disse que Deus tem poucos amigos?
Precisamente. A purificação é dolorosa e cansativa, e mesmo que vos pareça ser a vossa obra, é Deus quem a realiza em vós. Ele não pode escapar desta acção de purificação, que te perturba e consome, para te tirar do pântano do teu egoísmo.
"Deus não deixa o nosso pecado impune, Ele não pode tolerar que permaneçamos na nossa mediocridade". As provas são, então, um sinal da preferência de Deus?
Certamente, porque Ele quer que sejamos como Ele mesmo. Nosso objectivo é nos tornarmos pela graça o que Deus é por natureza. Portanto, Deus quer fazer-nos semelhantes a Ele em santidade, para que a nossa vida seja um reflexo da Sua santidade.

O MISTÉRIO DA VISITAÇÃO
Uma visita pessoal
É um mistério muito doce. É o mistério da caridade de Maria indo para sua prima Isabel,
para a ajudar nos meses finais da sua gravidez. Mistério da caridade de Maria, que é um
continuo vir a cada alma, para ajudar cada alma no seu caminho para Deus.
Como Nosso Senhor, também Maria Santíssima em seus mistérios vive uma missão, que não
acaba se não com o fim dos tempos. Não só a graça daquela caridade que traz a Rainha do
céu da prima Isabel está hoje presente na Igreja para cada alma, mas, mais do que isso, é feito
apresentando a própria visita da Virgem a cada alma.
Em sua vida terrena, a Virgem, como nós, foi condicionada pelo tempo e pelo espaço.
poderia ao mesmo tempo ir para Isabel e ficar com José ou ir para o Templo de
Jerusalém, ou seja, viver em múltiplos lugares, como pode ser o desejo
da sua alma para ajudar todos aqueles que possam precisar dela? Não.Jesus também aparece no Evangelho que em sua vida mortal não quis usar o dom de uma bilocação, anúncio
exemplo: mesmo que estivesse em Belém não estava em Nazaré, se estivesse em Jerusalém não estava em
Samaria. Condicionada como nós, Maria só podia viver num lugar, ela não podia viver
do que um acto de amor.
Não assim, depois da sua glorificação. Como Cristo após a sua gloriosa ressurreição é feito
presente em cada alma, une-se com cada um de nós e vive em cada um de nós "Habita em mim e eu em
tu", diz Jesus, assim diz a Virgem; ela está lá onde ama, ela está, portanto, numa visita contínua a cada um
de nós, na sua caridade. Não é apenas uma presença de lembrança, não é apenas uma presença
espiritual como poderia ser a presença, em nós, do nosso afecto e do nosso amor por todos
aqueles que amamos. Não é assim, é uma presença real; a Virgem também já não está condicionada pela
tempo ou espaço. Ela vive apenas a plenitude de um amor, o que torna possível para ela
glorificar a natureza da mulher para viver com cada um que ela ama, para viver vindo a cada um
que ele ama. Porque a visita de Maria Santíssima, já não está ligada a lugares, mas ligada a almas, vem
a cada alma que esteja particularmente disposta a acolhê-la...