Arquivo do blog

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Conhecimento sobrenatural do Padre Pio


Muitos Santos da Igreja católica possuíram o carisma que lhes permitia saber coisas distantes, ver o futuro ou ver e sentir a distância, enquanto usando os dons e as habilidades intelectuais normais deles. Padre Pio teve o carisma do conhecimento sobrenatural e ele poderia olhar de fato em uma pessoa e alcançar as partes mais secretas da alma. Muitos testemunhos existem neste carisma de padre Pio. 
Uma mulher da Bolonha disse: "Uma vez minha mãe foi Pe. Pio com alguns dos amigos dela. Ela se encontrou com Pe. Pio assim que ele chegasse a San Giovanni Rotondo, na sacristia do convento. Pe. Pio lhe falou: "Por que você está aqui? Vá para casa, seu marido está doente". Minha mãe pensou FOTO17.jpg (7875 byte)que ele tinha deixado o marido dele em condição boa. De qualquer maneira ela voltou pegando o primeiro trem para casa. Quando ela chegou a casa que ela perguntou pelo saúde de meu pai: não havia nenhuma notícia de melhora. Mas durante a noite meu pai teve dificuldades respiratórias sérias. Algo o apertou na garganta. À noite, aos onze da noite, meu pai foi hospitalizado, e ele foi levado com urgência ao centro cirúrgico. O cirurgião que o operou, extraiu pelo menos dele duas bacias de pus da garganta. Então Pe. Pio tinha visto o que ia acontecer ao marido da senhora com antecedência e, com a sugestão dele e a oração dele ele tinha tido influenciando na solução problema de saúde do marido da minha mãe. 
O filho espiritual do Pe. Pio que morou em Roma, enquanto estando junto com alguns amigos, omitiu por vergonha fazer o que ele normalmente faria, quando passa-se por de uma Igreja, uma reverência pequena, o sinal da cruz em consideração a Jesus. De repente ele ouviu a voz de Pe. Pio que disse: “Covarde!” Depois que alguns dias que ele foi para St. Giovanni Rotondo, lhe foi reprovado por Pe. Pio: "Tenha cuidado - Pe. Pio disse”este tempo eu só o adverti, mas da próxima vez eu lhe darei um tapa”
Um dia, para o pôr-do-sol, que Pe. Pio estava no jardim do convento. Ele estava conversando agradavelmente com alguns crentes e filhos espirituais, quando ele percebeu por não ter com ele o lenço. Então ele se dirigiu a um dos presentes e lhe falou: “Por favor, aqui esta a chave de minha cela, vai lá e leva o lenço.” O homem foi para a cela, mas, além do lenço, ele levou uma das meio luvas de Pe. Pio e a pôs no bolso dele. Na realidade ele não pôde deixar a chance fosse perdida, de levar uma relíquia! Mas quando voltou para o jardim e deu o lenço, Pe. Pio lhe falou: “Obrigado, mas agora você retorne na minha cela e ponha novamente na gaveta a meia luva que pôs em seu bolso.”
Uma senhora ajoelhava-se em frente à fotografia de um Pe. Pio todas as noites, antes de ir para cama, pedia a bênção dele. O marido dela que era católico, mas, acreditou que o gesto  era um exagero, e ria destes gestos de sua esposa, e a recriminava. Uma vez ele contou para Pe. Pio sobre o hábito da esposa e o que fazia: “Todas as noites minha esposa ajoelha em frente a sua fotografia e lhe pede que a “abençoe”. Pe. Pio lhe respondeu: "Eu sei, eu sei... e você começa a ri." 
Um homem era um bom católico, e ele era estimado e apreciado nos ambientes da Igreja. Uma vez ele foi confessar-se a Pe. Pio. Considerando que ele quis justificar o seu pecado, ele começou falando sobre uma "crise espiritual". De fato ele viveu no pecado. Na realidade depois de casado, ele vinha negligenciando sua esposa, tentando superar a crise junto com outra mulher. Infelizmente ele não pôde imaginar ficar um confessor "anormal" na frente. Na realidade Pe. Pio se levantou de repente e gritou: “... mas que tipo de crise espiritual! Você é um mentiroso e Deus está bravo com você. Vá embora!”
Um cavalheiro contou: "Eu tinha decidido deixar de fumar e oferecer para este pequeno sacrifício a Pe. Pio. Desde então, todas as noites, com o pacote intato de cigarros em minha mão, eu fiquei em frente à sua imagem, lhe falando: Pai... tem um anos... “O segundo dia: “Pai, tem dois anos... “  Três meses depois, eu fui para San Giovanni Rotondo, para ver Pe. Pio depois de fazer a mesma coisa todas as noites. "Pai", eu lhe diria assim que eu o vise, “são 81 dias que eu não fumo, 81 pacotes... “. E Pe. Pio disse: “Eu sei de tudo. Como você saiba, você me fez contar os pacotes todas as noites.”  
Um motorista do ônibus que transportou alguns turistas em viagem no Gargano, estava na sacristia a esperar, para regressar, quando Pe. Pio veio. O motorista do ônibus que estava no meio do grupo, de cerca de dez pessoas, foi notado por Pe. Pio que lhe falou: "Filho, você não pede uma bênção sequer? ". O motorista, pasmo, saiu do grupo e ele ajoelhou-se para receber a bênção de Pe. Pio. Mas Pe. Pio em vez do abençoar, ele lhe perguntou: "Assim, o que o tem preocupado? “Nada o Pai, eu queria qualquer coisa. Eu confessei quando eu fui ao Monte Sant'Angelo e eu assisti à Missa, até mesmo com os turistas eu estou guiando”. “E depois?” “Eu comprei alguns objetos de religiosos”. "Não, eles não foram as imagens santas para lhe  amaldiçoar, mas os doces... ". O motorista surpreendido se lembrou que depois que a Missa que ele tinha amaldiçoado porque o número dos torrones comprados resultou ser inferior à quantidade de turistas. O motorista, mortificou, tentou dizer algo mas Pe. Pio o puxando para longe do grupo e disse: "Não é bastante: na estrada, vindo a St. Giovanni Rotondo, você tem praguejado e ofendido,  não se manteve direito."  O motorista que tinha respondido que para ele fazer qualquer coisa, começou a fazer um ato de contrição". 
Uma senhora que era da Inglaterra foi para o confessionário, mas Pe. Pio fechou a janela do confessional: "Eu não estou disponível para você." Por que Pe. Pio não a quis confessar? Aquela mulher regressava todos os dias durantes duas semanas. Durante estas semanas ela tentou ser escutada por Pe. Pio no confessionário. Finalmente Pe. Pio a confessou. Então perguntou para Pe. Pio, por qual razão ele a tinha feito esperar todo aquelo tempo, Pe. Pio respondeu: "E você? Quanto tempo você deixou nosso Deus esperar? Você deveria desejar saber como o Jesus poderia o dar-lhe boas-vindas, depois que você cometesse tantos sacrilégios. Você comeu sua oração durante anos, ao lado de seu marido e sua mãe, que você recebeu a Sagrada comunhão em pecado mortal." A mulher, ficou atordoada, e recebeu a absolvição chorando. Quando, alguns dias depois ela partiu para a Inglaterra, ela estava muito contente. 
Um homem contou: - "Uma vez eu comi muitos figos. Eu tive uma dúvida disto. "Eu cometi um pecado da gula - eu pensei - para qual amanhã, sendo meu dia de confissão com Pe. Pio, eu confessarei isto." O dia seguinte, eu estava entrando lentamente na estrada do convento, eu fiz o exame de consciência. O pecado da gula não me veio a lembrança. Eu me confessei mas antes de concluir a confissão, antes da absolvição, eu falei para Pe. Pio: "Eu penso que estou esquecendo de uma culpa, talvez o mais sério, mas eu não me recordo disto". não "preocupe" - ele me respondeu sorrindo - "para dois figos ". 
Deus vê tudo e nós teremos que Lhe dar uma resposta para tudo. Os espetáculos de história seguintes que Deus sabe nossos pensamentos mais escondidos até mesmo. Um homem, em 1920 foi para o convento dos capuchinhos para confessar-se com Pe. Pio. Ele não era um grande penitente, como tantos outros. Ele pensava que tudo se excluiria no perdão. Pertencendo a uma gangue de criminosos inveterados, este homem decidiu dar fim a sua esposa e juntar-se a uma outra mulher. Ele queria matar sua esposa e ao mesmo tempo ter um álibi. Ele sabia que sua esposa era devota de um Monge que vivia em uma pequena cidade do Gargano.  Ninguém o conhecia lá, e ele poderia pôr o plano homicida em ação. Um dia ele a convence com uma desculpa para ir junto com ela. Quando eles chegaram lá, ele a convidou a visitar aquele homem de quem todo o mundo fala tanto.  Ele deixou só a esposa um Hotel da cidade, e só para o convento por reservar a confissão. Quando a esposa dele for falar com o monge ele terá um álibi na cidade. Procurou um bar e convidou alguns dos clientes a beber com ele. Depois, com uma desculpa sairia e mataria a esposa ele saindo da confissão. Tudo ao redor do convento é rural e na luz lânguida da noite ninguém reconhecerá qualquer coisa, até mesmo alguém que enterra um corpo morto. Então ele poderia voltar para o bar e continuar bebendo com os companheiros. O plano estava perfeito, mas, ele não  imaginava enquanto planejava o homicídio, que alguém estaria escutando. Quando ele chegou ao convento que ele viu Pe. Pio, que estava confessando. Neste momento ele teve um impulso, ajoelhou-se em frente ao confessionário de Pe. Pio, mesmo não tendo ainda cometido o homicídio. Ele mal terminou o sinal da Cruz, ouviu uivos inconcebíveis que saíam do confessionário: "Vá embora! Vá embora! Vá embora! Você não sabe que era proibido para matar alguém? - Vá embora! Vá embora! " - Então Pe. Pio o levou pelo braço e o despachou. O homem estava atordoado, incrédulo, desanimado. O homem corre para fora do mosteiro onde, ele caiu próximo a um pedregulho, com a face na lama, e ele reconhece os horrores de sua vida, cheia de pecado. Em um tempo ele vê todo sua existência e, entre tormentos da mente, ele entende a maldade que tencionava cometer. Atormentado na profundidade do coração, volta a Igreja e pede Pe. Pio para o confessar. Pe. Pio o concedeu a confissão, com doçura infinita fala-lhe como tivesse o conhecido por muito tempo. O bastante para o ajudar a não esquecer nada daquela vida perdida, Pe. Pio o lista o momento-por-momento de vida dele, pecado depois de pecado, crime depois de crime com abundância de detalhes. Ele alcança o último difamatório intencional matar a esposa dele. O homem escuta Pe. Pio que fala sobre o possível homicídio só ele conhecia na mente dele e que nenhuma outra sabia. Esvaziando, mas finalmente livre, ele se lança aos pés do monge e ele que abençoa. Mas ainda não acabara. Ao término da confissão, Pe. Pio lhe falou: "Você desejou ter algumas crianças, não os tenha? - "Bem, não ofenda Deus mais e você terá uma criança!". Aquele homem voltara exatamente depois um ano a Pe. Pio, totalmente convertido, e ele se tornou pai de uma criança que nasceu pela mesma esposa que ele quis matar.
O padre Guardião do convento de São Giovanni Rotondo contou: - "Certo dia, um comerciante de Pisa veio pedir ao Padre Pio para curar sua filha. O padre fixou-o e disse: "Tu estás mais doente a que tua filha. Eu te vejo morto". "Não é possível,  eu estou muito bem"... - "Infeliz!”Gritou o Padre Pio - "Desgraçado!” Como pode dizer que estás bem com tantos pecados na consciência? ¡“Vejo pelo menos trinta e dois"!  Imagine o susto do comerciante. Depois da confissão ele contou a  todos os que quisessem escutar: ¡"Ele já sabia tudo e me disse tudo"!
Um sacerdote contou, um fato ocorrido com um dos seus confrades, que veio de muito longe para se confessar com o Padre Pio. Ele teve que esperar muitas horas em Bolonha. Depois da confissão, o Padre Pio lhe perguntou: "Meu Filho, lembra daquilo?" – “Não, Padre!” – “Vamos, pense um pouco...” - Este examinou sua consciência, porém não encontrou nada. Então o Padre Pio lhe disse com extrema doçura: “Meu filho, ontem quando você chegou às 5:00 da manhã em Bolonha, as Igrejas ainda estavam fechadas. Porém, você invés de esperar, resolveu ir para um hotel descansar um pouco antes da Missa. Deitou na cama e dormiu tão profundamente que só veio despertar as 3:00 da tarde. Àquela hora, era muito tarde para celebrar a missa. Eu sei, que você não fez por maldade, porém foi uma negligência que feriu a nosso Deus”.
No tempo em que grandes multidões recorriam ao Padre Pio, foram enviados ao convento  dois guardas civis que sempre o protegeram. Certo dia, na Sacristia, enquanto ele retirava-se, antes da celebração da Santa Missa, o Padre se dirigiu sorrindo a um dos guardas civis: "Assim que terminar a celebração, depois dos agradecimentos, venha aos meus aposentos, pois tenho que falar contigo". O guarda civil se alegrou, e esperou  que o Padre acabara e logo o procurou. "Sente-se", disse o Padre Pio, "Daqui a oito dias você irá à  casa de teu pai e lá morrerás, meu filho". “Mas Padre, eu estou me sentindo muito bem", disse o guarda civil. "Não te preocupes", acrescentou o capuchinho. "Você estará melhor se morreres em oito dias”.Pois, o que é esta vida? Uma romaria; estamos num trem! Peça licença a teu superior e vá a tua casa despedir-se dos seus parentes, pois irá morrer. Porque se ficar aqui, você morrerá e seus parentes não saberão". O guarda civil, transtornado com estas palavras perguntou: "Padre, posso contar o que você me disse?” “ Não, agora não, disse o Padre, só falarás quando estiver em casa". O jovem pediu uma licença para ir para sua casa. Mas, não quiseram conceder-la porque não havia nenhuma justificativa adequada, porém pela intercessão do  Padre Pio, o guarda civil conseguiu a licença. chegando em casa o guarda civil contou a seus pais: "O Padre Pio me disse que eu irei morrer, então vim para despedir-me de vocês". Depois de oito dias o guarda civil morreu. 
Os religiosos do convento de Venafro, que hospedaram o Padre Pio por algum tempo, foram testemunhas de visões e de outros fenômenos inexplicáveis. Quando esteve gravemente enfermo, o Padre Pio demonstrou estar em absoluta capacidade de ler os pensamentos das pessoas. Certo dia, o Padre Agostino foi  visitar-lo. "Esta manhã faça uma oração particular por mim", disse o Padre Pio. Indo para a Igreja, o Padre Agostino decidiu rezar de maneira muito especial pelo frei durante a Santa Missa, porém logo depois ele  esqueceu.  O Padre Pio lhe perguntou: “Há rezado por mim?" “Esqueci!”. Disse o Padre Agostino. Então o Padre Pio respondeu: "Menos mal que o bom Deus, aceitou o propósito que você tinha quando desceu as escadas”.
Certa vez, estando o Padre Pio ocupado, um  homem solicita, insistentemente, a confissão dos seus pecados. O padre Pio levanta a cabeça e responde: “Este homem fez Deus esperar por ele vinte e cinco anos para se confessar e, ele não pode me esperar por cinco minutos?” Este fato foi averiguado e foi comprovado que é verdadeiro. 
O espírito profético do Padre Pio nos chegou pelo Padre Carmelo Durante, que era Superior do Convento de São Giovanni Rotondo, por este testemunho: "Durante a última guerra mundial, diariamente, falávamos das barulhentas vitórias militares da Alemanha em todas as frentes de batalha. Lembro que numa manhã na sala do convento, eu estava lendo um jornal, que trazia a notícia de que as tropas alemãs estavam indo em direção a Moscou. Era para mim uma notícia importante, pois tratava-se do final da guerra com a vitória final da Alemanha: Saindo fora no corredor, encontrei o  venerado Padre Pio, muito feliz, gritei: Padre, a guerra terminou! A Alemanha venceu!  . - "O que foi que você disse?”  perguntou o Padre Pio - "Padre, o jornal disse…." Então o Padre Pio exclamou: “A Alemanha venceu a guerra?! A Alemanha, desta vez, perderá a guerra, pior do que a outra vez. Não esqueça!" - Eu repeti: "Padre, os alemães já estão próximos de Moscou, por tanto...” Ele acrescentou: "Lembra-te do que eu te disse!”. Eu continuei:  “Mas se Alemanha perde a guerra, a Itália também a perderá!”. - Então Ele, respondeu: “Já veremos se eles vão acabar juntos". Aquelas palavras eram completamente confusas, se levássemos em conta a aliança Itália-Alemanha, porém ficaram claras, no ano seguinte, depois da trégua com os anglo-americanos de 8 de setembro de 1943, com a declaração da guerra entre a  Itália e a Alemanha.
Uma senhora contou que: "Participou de uma viaje organizada pela Paróquia de São Giovanni Rotondo com o objetivo de conhecer  o Padre Pio, no ano de 1961. No ônibus turístico um senhor, em alta voz, de repente disse: "Minha mulher queria que eu a acompanhasse numa visita a este "mentiroso". A referência ao querido Padre foi evidente. Tive um aperto no coração por causa daquele insulto. Quando  chegaram em São Giovanni Rotondo; foram em seguida para a Igreja  participar da  Santa Missa. Quando terminou o  Padre Pio passou no meio dos   romeiros, chegou próximo de nós e parou em frente daquele senhor que no ônibus  tinha falado mal dele lhe disse: "Venha aqui! Fique em frente deste impostor". O homem ficou pálido, se ajoelhou e, gaguejando, conseguiu dizer somente: "Me perdoe, Padre! Me perdoe!", então o Padre Pio pôs a mão na cabeça dele e, abençoando-o, acrescentou: "Levante-te, eu te perdôo". Aquele senhor se converteu no mesmo instante, entre a admiração e a comoção de todos. 
Uma senhora contou que: - "No ano 1945 sua mãe a levou em São Giovanni Rotondo para que conhecesse ao Padre Pio pessoalmente e se confessasse com ele. Enquanto esperava a sua vez, pois tinha muita gente, pensava em tudo o que tinha que dizer ao Padre. Porém quando estava na sua presença, ficou paralisada. O Padre Pio em seguida se deu conta da sua timidez e, com um sorriso lhe disse: "Você quer que eu fale por ti?". Ela consentiu por meio de um sinal e, depois de algum instante, ficou pasma. “Não pude acreditar!”O Padre Pio disse, palavra por palavra, tudo o que ela havia querido dizer-lhe. Ela se sentiu tranqüila, serena e mentalmente deu graças ao venerado Padre por obsequiar-la com esta experiência de seu extraordinário carisma. Ela confiou  a saúde da sua alma do seu corpo. Ele respondeu: “Sempre serei teu pai espiritual". Ela se despediu dele com uma imensa alegria no coração. Enquanto regressava de trem, sentiu um intenso perfume de flores do qual nunca esqueceu Era a presença do Padre Pio que a  encheu de felicidade. 

Ierognosia
Padre Pio tinha poderes para  reconhecer se um homem era um Padre e se os objetos que lhe apresentavam já tinham sido abençoados. . O fenômeno de "ierognosia" estava entre tantos outros carismas que o  Padre Pio possuía. Um dia um cavalheiro que usava  jaqueta amarra e  arqueja, estava na sacristia junto com   outros homens que esperavam pela chegada do Padre Pio. Ele estava na primeira fila. Quando Frei  Pio o notou, lhe  disse: "Irmão, você tem vindo"disfarçado", mas você não tem por que se  envergonhar de vir para  me ver. Na próxima vez você pode voltar vestido como padre que é. 
Padre  Pio falou para um homem jovem  que vestia arqueje e suéter para ir embora e voltar vestido com o hábito dominicano.. Confuso, envergonhado, o homem jovem confessou na frente de  todo o mundo que era um padre dominicano. 
 Às vezes, quando lhe foram mostrados a Frei  Pio alguns objetos como coroas do Rosário ou  imagens sagradas com o pedido de que as abençoasse, ele devolveu alguns dos objetos ao solicitante  com a declaração precisa: "Isto já foi abençoado". E era verdade.        
 Padre Pio podia  sentir se um copo  de água era água benta. E se alguém lhe dava uma garrafa com  água de Lourdes dentro, sem lhe falar de onde esta água procedia, ele levava  a garrafa até os  lábios e a beijava.. 
Uma vez, um motorista de ônibus de Roma, a quem Nossa Senhora tinha se aparecido na  caverna das Três Fontes de Roma (a Virgem da Revelação) foi se encontrar com Padre  Pio. Ele contou: "Quando eu estava na  frente dele - nós nunca tínhamos nos encontrado antes - eu lhe dei um pequeno envelope, sem lhe contar o que continha. Padre Pio pegou  o envelope, apertou-o sobre o peito com paixão e  não mo devolveu. O pequeno envelope continha  um pouco de terra da caverna das Três Fontes."
Fonte; www.padrepio.catholicwebservices.com

FRASES DO PADRE PIO - Para a Vida, Nª Senhora e a Missa


Para a vida
“Aja com humildade e confesse-se com assiduidade.”
“Somente Deus pode te dar forças para suportar todas as tribulações.”
“Seja sempre modesto no olhar.”
“Persevere na oração com calma e confiança.” 
“É a Deus que você deve recorrer face aos assaltos do demônio.”
“Pratique um ato específico de docilidade.” 
“Não ceda sua alma à tentação, nos diz o Espírito Santo, já que a alegria do coração é a vida da alma.”
“Compreendo que as tentações possam dar a impressão de confundir o espírito em vez de purificá-lo. Mas ouçamos o que diziam os santos, entre eles São Francisco de Sales – ele dizia que as tentações para as almas virtuosas possuem o mesmo efeito do sabão na roupa suja: a princípio, parece que ele mancha a roupa mas, na verdade, a limpa.” 
“O demônio nunca conseguirá demover uma alma que está agarrada à Cruz.”
“Nada é demais para se salvar uma alma!” 
“As tentações contra a fé e a castidade são obras do demônio. Mas não o tema; despreze-o.”
“Contemplemos com devoção o sangue de Jesus derramado até a última gota por nós na cruz pela redenção da humanidade.” 
“As almas mais aflitas são as prediletas do Divino Coração”.
“Reze para o Espírito Santo a fim de que Ele o ilumine.” 
“As almas que amam a Deus estão prontas a tudo!”
“A ansiedade é infrutífera e desnecessária.” 
“Não dê atenção às pessoas que não sabem o que dizem.”
“Que possamos ser sustentados pela incansável misericórdia de Deus, quando formos perturbados pelas coisas deste mundo e pelas adversidades!” 
“Não esqueça de que você será tratado por Deus com a mesma medida que você trata os outros.”
“Ao assistir a Missa, medite sobre o Cordeiro de Deus que se imola por você.” 
“Faça companhia a Jesus nos jardins do Getsêmani e Ele sempre te confortará na tua hora de agonia.”
“Não se descuide de ficar bem agarrado à Cruz de Jesus.” 
“Não profane o sacramento da Confissão, pois custou o sangue de Cristo.”
“Que tuas intenções sejam sempre corretas!” 
“Na sua vida em família, tenha firmes convicções, sorria nas contrariedades e seja forte nas dificuldades.”
“O sacrifício mais agradável a Deus é o sacrifício da vontade!” 
“Deus está entre nós e nos chama; mas nós insistimos em não responder e em não vê-Lo, porque preferimos ficar absortos em nossos próprios interesses.”
“O sofrimento é um meio de expiação.” 
Padre Pio de Pietrelcina