Don Divo Barsotti

Arquivo do blog

sábado, 12 de novembro de 2011

* Elder Porphyrios continually emphasizes that our f... * Elder Porphyrios of Kavsokalyvia (1906 - 1991) * PRIÈRE DE JÉSUS * Père PORPHYRIOS : comment nos prières sont exaucée... * Elder Porphyrios : Christ. He is our friend * Les enseignements de Père Porphyrios : La prière a... * L'Anziano Porphyrios diceva: "La vita senza Cristo... * Staretz Porphyrios: Comment vaincre la dépression * Prayer – Wounded by Love, Elder Porphyrios * The Farewell Letter of Elder Porphyrios * The Power of the Name By Bishop Kallistos Ware of ... * Writings from Elder Porphyrios * Melancholy, sadness, anxiety by Elder Porphyrios... * Elder Porphyrios on the Jesus Prayer: don’t put yo...

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA:
 
2666. Mas o nome que tudo encerra é o que o Filho de Deus recebe na sua encarnação: JESUS. O nome divino é indizível para lábios humanos mas, ao assumir a nossa humanidade, o Verbo de Deus comunica-no-lo e nós podemos invocá-lo: «Jesus», « YHWH salva» . O nome de Jesus contém tudo: Deus e o homem e toda a economia da criação e da salvação. Rezar «Jesus» é invocá-Lo, chamá-Lo a nós. O seu nome é o único que contém a presença que significa. Jesus é o Ressuscitado, e todo aquele que invocar o seu nome, acolhe o Filho de Deus que o amou e por ele Se entregou.
 
2667. Esta invocação de fé tão simples foi desenvolvida na tradição da oração sob as mais variadas formas, tanto no Oriente como no Ocidente. A formulação mais habitual, transmitida pelos espirituais do Sinai, da Síria e de Athos, é a invocação: «Jesus, Cristo, Filho de Deus, Senhor, tende piedade de nós, pecadores!». Ela conjuga o hino cristológico de Fl 2, 6-11 com a invocação do publicano e dos mendigos da luz (14). Por ela, o coração sintoniza com a miséria dos homens e com a misericórdia do seu Salvador.
 
2668. A invocação do santo Nome de Jesus é o caminho mais simples da oração contínua. Muitas vezes repetida por um coração humildemente atento, não se dispersa num «mar de palavras», mas «guarda a Palavra e produz fruto pela constância». E é possível «em todo o tempo», porque não constitui uma ocupação a par de outra, mas é a ocupação única, a de amar a Deus, que anima e transfigura toda a acção em Cristo Jesus.