Arquivo do blog

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Cardeal D. Giovanni Battista Re, presidiu às celebrações das Aparições de Nª Sª no Santuário de Fátima a 12 e 13 de Outubro



13 de outubro: Fé não é questão irrelevante nem marginal
2015-10-13




O cardeal D. Giovanni Battista Re, Prefeito Emérito da Congregação para os Bispos e Presidente Emérito da Pontifícia Comissão para a América Latina, valorizou a importância da fé, esta manhã durante as celebrações.
O cardeal italiano considera a fé algo essencial que não pode ser marginalizado ou tido como algo irrelevante “porque muda radicalmente a maneira de pensar e agir”. E para D. Giovanni não se trata só de uma questão importante para a salvação eterna, é também algo essencial para “uma vida serena nesta terra”.
“A maior desgraça que nos pode acontecer é precisamente a perda de fé”, uma vez que para o Perfeito Emérito da Congregação para os Bispos, a fé enriquece a existência humana em todas as dimensões.
Mas hoje em dia, a fé enfrenta o desafio dos estilos de vida e das correntes de pensamento, segundo D. Giovanni Re, no entanto “em Maria, temos um apoio da Nossa Fé”. O Cardeal  e Perfeito Emérito considera ainda que as aparições aqui em Fátima, transmitem uma mensagem de santidade e um convite a mudar de vida. 
Homilia de 13 de outubro de 2015, por D. Giovanni Re, Prefeito Emérito da Congregação para os Bispos




12 de outubro: “O verdeiro problema do nosso tempo é a falta de fé em Deus”
2015-10-12


 

Na noite de 12 de outubro, o cardeal D. Giovanni Battista Re aproveitou a homilia para apontar alguns “sinais preocupantes de futuro em risco”, dando exemplos das “várias crises atuais”. O Prefeito Emérito da Congregação para os Bispos lembrou “a crise económica e financeira que desde há vários anos pesa sobre as famílias”, aliada à crise moral e a crise social, que “comporta tantos problemas”, e sublinhou que “na base destas crises está uma que é a raiz de todas as outras: a carência de Deus”.
“Sem Deus, o homem e a mulher deixam de ter princípios que iluminem o caminho da vida”, continuou o cardeal, destacando que “quando Deus perde o lugar central que Lhe compete, também o homem perde o seu lugar”. Isto porque, como diz, “longe de Deus, o ser humano perde-se, ficando à mercê de egoísmos pessoais e interesses de grupo”.
Especialmente focado no problema da falta de fé, D. Giovanni Re recordou que “o Evangelho levou-nos em pensamento até ao templo de Jerusalém”, que Cristo encontrou “transformado num covil de negócios e de comércio”. O cardeal aproveitou esta passagem para pedir aos peregrinos que se interrogassem sobre “o lugar que Deus ocupa no nosso coração e na nossa vida”, alertando para o perigo de quando “Deus passa a ser a última das nossas preocupações”.
D. Giovanni Re recordou ainda a homilia da beatificação dos pastorinhos Francisco e Jacinta Marto, de 13 de maio de 2000, altura em que o papa João Paulo II disse que “quantos acolhem esta presença [de Deus] tornam-se morada (…) do Altíssimo”.