Arquivo do blog

domingo, 25 de outubro de 2020

Santa Maria Alfonsina Danil Ghattas , fundadora das Irmãs do Rosário

 Maria Alfonsina Danil Ghattas

MARIA ALPHONSINE DANIL

 


1843-1927

Maria Alfonsina Danil Ghattas



RELIGIOSOS PROFESSAS

  DO ROSÁRIO

(Wardiyye)


  Dia de festa: 10 de Agosto


Santa Maria Afonsina (Mariam Sultaneh) DANIL GHATTAS nasceu em Jerusalém a 4 de Outubro de 1843, numa família cristã muito devota. O nome do seu pai era Daniel e da sua mãe Catarina. A família ghattas era originalmente de Belém, mas vários dos seus membros tinham deixado Belém para viver  noutro lugar da Palestina: Beit Jala, Beit Sahour e Jerusalém.  

Foi portanto em Jerusalém que Mary Alphonsine viveu com a sua família. A sua mãe assistia à Missa todos os dias. O seu pai acolheu de bom grado amigos e vizinhos na sua casa todas as noites para o Rosário em frente de uma estátua da Virgem Maria. Este era um costume generalizado em muitas famílias cristãs em Jerusalém.

Ao seu nascimento, Mary Alphonsine recebeu o nome de "Sultaneh". (em árabe: Regina) um nome relacionado com a Rainha Virgem. Em ocasião do baptismo, os seus pais acrescentaram a isto o nome de Maria.

Maria frequentou a escola católica, fundada pelas Irmãs de S. José da Aparição. Era uma das melhores estudantes e foi decidido aos nove anos de idade consagrar a sua vida ao Senhor. Contudo, o pai  se opôs à decisão da rapariga, porque ela deveria continuar a sua educação em França. Foi apenas após anos de indomável oposição do seu pai, que Maria, aos 17 anos, recebeu o hábito das Irmãs de São José da Aparição em 30 de Junho de 1860, no Gólgota em Jerusalém, com o nome religioso de Maria Alfonsina, que ela guardaria para o resto da sua vida. Após quatro séculos, foi a primeira religiosa católica de língua materna árabe.

A Irmã Mary Alphonsina era ardente pela missão, pela acção apostólica, mantendo ao mesmo tempo uma personalidade calma, recolhida, posta e digna. Caracterizava-se por uma humildade incrível, evitava qualquer ocasião para aparecer, preferia o trabalho silencioso, para agradar apenas a Deus e não aos homens.


Designada para ensinar religião, os jovens estudantes tornaram-se apegados à freira, quase da sua própria idade. Ela pensou em reuni-los como uma Irmandade da Imaculada Conceição. Em seguida sugeriu ao pároco que organizasse em associação tambémpara as mães cristãs, das quais se ofereceu como assistente. Estas associações ainda hoje existem em Jerusalém.


A Irmã Maria Alfonsina foi notada pelo seu zelo na escola e nas associações, mas permaneceu humilde e tentou desaparecer em todos os sentidos, mas tinha dons verdadeiramente "especiais".

Em 6 de Janeiro de 1865, foi transferida para Belém como professora. Aí, em 6 de Janeiro de 1874, festa da Epifania, recebeu as primeiras aparições da Santíssima Virgem. Ela estava a rezar o terço no oratório das freiras quando a Virgem apareceu em pé numa nuvem luminosa com as mãos abertas. No seu peito havia uma cruz, da qual pendurou um rosário aberto num círculo, que tocou com as mãos abertas e desceu quase até aos seus pés. A cabeça da Virgem estava rodeada por quinze estrelas; debaixo dos seus pés havia duas nuvens, em cada uma das quais brilhavam dois conjuntos de sete estrelas.


Em 31 de Maio do mesmo ano, no mesmo oratório e novamente durante a oração do Rosário, Maria Alfonsina teve uma segunda visão da Virgem. Nessa ocasião ela sentiu pela primeira vez a inspiração interior que a levaria à fundação das Irmãs do Rosário.

Em 6 de Janeiro de 1876, a Virgem apareceu-lhe novamente, comunicando-lhe mensagens importantes sobre a fundação de uma congregação local, cujo nome seria Irmãs do Rosário, reservada às mulheres árabes.

Estas aparições duraram quatro anos.