Don Divo Barsotti

Arquivo do blog

domingo, 1 de março de 2009

AO ANGELUS, O PAPA BENTO XVI FALA DA ETERNA LUTA ENTRE O BEM E O MAL E A TER EM CONTA O PAPEL DOS ANJOS


Nas suas reflexões antes da recitação do Angelus deste primeiro domingo da Quaresma Bento XVI exortou os fiéis católicos a não subestimar o papel dos anjos, e recomendou que sejam muitas vezes invocados.

Pedimos-lhe, em particular hoje, que vigiem sobre mim e sobre os colaboradores da Cúria Romana que esta tarde, como acontece todos os anos, iniciarão a semana de exercícios espirituais – disse o Papa.

Referindo-se ao Evangelho deste Domingo o Santo Padre evocou Satanás, o adversário que desde o principio se opôs ao desígnio salvifico de Deus a favor dos homens.
Citando as tentações de Jesus no deserto, que foram obra do Demónio, Bento XVI recordou porém que quase de fugida, na brevidade do testo evangélico, diante desta figura obscura e tenebrosa que ousa tentar o Senhor, aparecem os Anjos, figuras luminosas e misteriosas que serviam Jesus. Eles – explicou o Papa – são o contraponto de Satanás.

Segundo Bento XVI tiraríamos uma parte notável do Evangelho se deixássemos de lado estes seres enviados por Deus, os quais anunciam a sua presença entre nós e são um seu sinal. “Invoquemo-los muitas vezes para que nos ajudem no empenho de seguir Jesus até nos identificarmos com Ele”.

Perante a crise económica que corre o perigo de arrasar a Itália com o desemprego e encerramento de empresas, o Papa exortou neste Domingo as autoridades politicas e civis, bem como os empresários, a um comum e forte empenho para tutelar como prioridades os trabalhadores e as suas famílias.

Bento XVI saudava em particular um grupo de operários e empregados de um estabelecimento automobilístico do sul da Itália, mas referia-se também a outras situações igualmente difíceis que afligem vários centros italianos.