Don Divo Barsotti

Arquivo do blog

segunda-feira, 9 de março de 2009

MISSA AD ORIENTEM



Joaquin Jaubert Nem todas as notícias que vêm do oriente são boas. Infelizmente, em muitos casos, negativas. Contudo, na Sagrada Escritura é bom de lembrar e ressaltar que este foi o ponto cardeal preferido porque, entre outras razões, era um símbolo da alegria, prosperidade e até mesmo do próprio Deus (Lc 1,78
No início da Igreja, e durante séculos até algumas décadas atrás, era a direcção sagrada para onde se orientava a oração e celebração da Santa Missa. Essa significação litúrgica conduz-nos à ideia de que todos os que participamos na Missa olhamos para Deus. Versus orientem e ad orientem convertem -se em ad Dominum, versus Deum e Coram Deo.

Neste sentido em que foco o artigo , quero aproveitar o final da temporada litúrgica do Natal, a Festa da Epifania para reler um par de textos que, precisamente, enchem de alegria aos bons cristãos e que ,como se pode apreciar, nos recordam que, não nos desorientarmos, temos de olhar sempre para a única fonte de permanente alegria em nossa vida, nosso Senhor Jesus.
A pergunta dos Magos "Onde está o rei dos judeus recém-nascido? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-Lo "(Mateus 2:2), encontra a resposta exacta a caminho de Belém pois" eis que a estrela que tinham visto no Oriente ia diante deles, até que chegou e parou sobre o lugar onde estava o menino. " (Mat. 2:9).

A cara de felicidade dos três Reis Magos devia responder à contemplação do que o profeta Baruch anunciou à cidade santa "Jerusalém, olha para oriente e contempla a alegria que te vem de Deus" (Ba. 4,36) ou àquilo que está escrito em Ezequiel , “e de repente chegou do Oriente a Glória do Deus de Israel, com um ruído semelhante aos grandes rios; a terra iluminou-se com a sua Glória" (eż. 43,2). Isto leva-nos à segunda vinda de Jesus Cristo na qual "como o relâmpago surge do Oriente e brilha até ao Ocidente, assim ocorrerá e com a vinda do Filho do homem" (Mt 24, 27).

Além disso, a expressão Coram Deo implica viver a presença de Deus pois estamos ante os olhos de Deus. A postura litúrgica simboliza estar na presença de Deus o único que pode produzir uma vida perfeita e irrepreensível. Noutras palavras, explicita-se a relação entre o que se celebra com o que se há-de viver, além de acreditar. São Paulo exortava os Coríntios a viver " olhando a cara descoberta como num espelho a glória do Senhor" (2 Cor. 3,18). A Igreja peregrina manifesta-se caminhando todos na mesma direcção para Deus, uno e trino.

Um conhecido teólogo, Ratzinger, hoje Bento XVI, no longinquo ano de1966, disse em Bamberg "Não podemos negar por mais tempo que sobre este tema se insinuaram muitos exageros e até aberrações, ao ponto de resultarem aborrecidas e indecentes. Por exemplo, deverão celebrar -se todas as missas de cara para o povo? É tão absolutamente importante olhar para o rosto do padre que celebra a Eucaristia? Ou, não será muitas vezes saudável pensar que também ele é um cristão e tem todos os motivos para dirigir-se a Deus na companhia de seus irmãos reunidos em assembleia, e recitar com eles o Pai Nosso ? "