Don Divo Barsotti

Arquivo do blog

segunda-feira, 16 de março de 2009

Bento XVI convoca um "Ano Sacerdotal", de 19 de Junho 2009 a 19 de Junho de 2010


Na manhã desta segunda feira Bento XVI recebeu em audiência os participantes na assembleia plenária da Congregação para o Clero.

Nesta ocasião o Papa anunciou ter convocado um “ano sacerdotal” especial , de 19 de Junho 2009 a 19 de Junho de 2010. Ocorrem de facto os 150 anos da morte do Santo Cura d’Ars, João Maria Vianney, verdadeiro exemplo de Pastor ao serviço do rebanho de Cristo. O Santo Padre disse que tocará á Congregação para o Clero de acordo com os bispos diocesanos e com os superiores dos Institutos religiosos, promover e coordenar as várias iniciativas espirituais e pastorais que parecerão úteis para fazer perceber cada vez mais a importância do papel e da missão do sacerdote na Igreja e na sociedade contemporânea.


Bento XVI salientou no seu discurso aos participantes na plenária da congregação para o clero que a Igreja nunca poderá fazer a menos dos sacerdotes, cuja formação deve envolver as melhores energias eclesiais, sem cair numa interpretação errada do justo envolvimento dos leigos.

A consciência das mudanças sociais radicais dos últimos decénios – disse o Papa – deve mover as melhores energias eclesiais para cuidar da formação dos candidatos ao ministério sacerdotal.


Depois é necessário vigiar para que as novas estruturas ou organizações pastorais não sejam pensadas para um tempo no qual se deveria fazer a menos do ministério ordenado, partindo de uma interpretação errada da justa promoção dos leigos, porque em tal caso, lançar-se-iam os pressupostos para ulterior diluição do sacerdócio ministerial e as eventuais presumíveis soluções coincidiriam dramaticamente com as causas reais das problemáticas contemporâneas ligadas ao ministério.

NO seu discurso o Santo Padre salientou também a urgência de recuperar a consciência que leva os padres a estarem presentes, a serem identificáveis e reconhecíveis seja pelo juízo de fé seja pelas virtudes pessoais, seja também pelo habito, nos âmbitos da cultura e da caridade, desde sempre no coração da missão da Igreja.