Don Divo Barsotti

Arquivo do blog

sábado, 6 de março de 2010

Uma triste notícia: alguns bispos estariam se organizando para proibir expressamente o uso da batina pelos seus seminaristas


Um belo fenômeno que se observa na nova geração de padre e seminaristas é o crescente interesse pela tradição da Igreja e pelas práticas de vida religiosa que foram utilizadas durante séculos, com sucesso, diga-se de passagem, pela nossa Santa Igreja Católica, Apostólica e Romana. A nova geração de padres, nascida já depois dos infelizes anos pós-concílio, demonstra muito mais seriedade, piedade, amor pela Igreja do que uma significativa parcela da geranção imediatamente anterior, para a qual o gosto pelas novidades é o que contava, o amor ao estudo era quase nenhum, a vida de oração praticamente inexistente e o maior prazer era mandar demolir os santos altares e transformar a Casa de Deus em galpões de fábricas. Muitos jovens generosos estão batendo às portas dos seminários, principalmente naqueles em que a formação do levita é encarada com muita seriedade e rigor, como a Mãe Igreja fez durante 500 anos, desde o concílio de Trento. Infelizmente, comenta-se nos meios seminarísticos que alguns senhores bispos teriam feito uma importantíssima reunião para discutir o grave desvio de conduta - dos seminaristas que queriam usar a batina! Realmente, é de estarrecer...Numa época em que o secularismo destruidor tem sido condenado insistentemente pelo Santo Padre o Papa Bento XVI; em que um relatório já foi feito pela Congregação Para os Institutos de Vida Consagrada, após uma visitação realizada nas casas religiosas dos Estados Unidos, concluindo que as congregações que mais se secularizaram foram as que mais perderam vocações; em que todas as Dioceses da França, juntas, no ano de 2009, receberam 98 seminaristas diocesanos, ao passo que os seminários tradicionais da Fraternidade S.PioX e do Instituto do Bom Pastor, superaram em novos alunos todas as dioceses do país; em que causam escândalo ao povo fiel alguns presbíteros que teimam em levar uma vida pouco condizente com a santidade do sacerdócio, frequentando bares, festas e boates, vestidos com roupas caríssimas, de marcas famosas, dirigindo carros importados, esculpindo os seus corpos à custa de muita ginástica e musculação e sentindo prazer em exibi-los, muitas vezes em cima dos palcos e com as bênçãos da hierarquia, com um comportamento totalmente diferente dos exemplos das muitas gerações de santos sacerdotes católicos do passado, inclusive, S.João Maria Vianney, modelo de padre proposto pelo Papa para o ano sacerdotal. Pois bem, mesmo diante de todas essas circunstâncias, alguns senhores bispos estão preocupados com os seminaristas que querem usar a simples libré de servos do senhor, cuja cor negra lhes recorda que deverão estar no mundo sem contudo a ele pertencerem; batina negra que silenciosamente diz àqueles que a usam: coragem! não desanimem! o céu vale a pena o sacrifício! Enquanto isso, em nossos templos o caos instalado após o concílio não dá sinais de arrefecer...a Sagrada liturgia, culto público que a Igreja tributa ao seu Esposo Divino, em benefício do seu povo é utilizada para as mais terríveis experiências e inovações...a Santíssima Eucaristia é profanada diariamente, através do descuido de muitos dos que a distribuem, sem fé, amor ou zelo e de muitíssimos dos que a recebem, sem qualquer preparação espiritual. Os mais sagrados mistérios da nossa fé, diante dos quais os anjos se prostam no céu, estão reduzidos a uma simples festa humana, a um encontro de amigos, com muita histeria, palmas e música profana...em moldes infinitamente piores aos dos protestantes, cujo culto serviu de inspiração aos mentores da reforma litúrgica, liderados pelo arcebispo-maçon Anibal Bugnini. Bem, nada disso parece escandalizar aqueles que deveriam ser os guardiões e promotores da fé...mas um simples seminarista usando uma batina causa um grande alvoroço! Que triste...Vamos rezar para que o Santo Padre Bento XVI possa viver ainda muitos anos para consertar tanta coisa que está errada. Peçamos a São João Maria Vianney e S.Pio de Pietrelcina que lá do céu, zelem pela vocação e perseverança dos nossos seminaristas, para que se mantenham fiéis apesar das dificuldades e, um dia, possam subir os degraus do altar e pronunciar as palavras da Santa Missa de sempre: Introibo ad altare Dei...Amén!

fonte:Dóminus Vobiscum