Don Divo Barsotti

Arquivo do blog

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Bento XVI pede aos leigos que assumam maiores responsabilidades na vida da Igreja povo de Deus e Corpo de Cristo, e exorta a um renovado espírito mis



Na tarde desta terça feira, na abertura do Congresso Diocesano de Roma, Bento XVI defendeu a retomada das acções de evangelização, incentivando os jovens que, cresceram numa sociedade individualista, a experimentar a beleza de representar a Igreja.

Às centenas de fiéis presentes na Basílica de São João de Latrão, na abertura deste encontro diocesano, o pontífice pediu que criem grupos missionários nos seus locais de trabalho, já que é nestes ambientes que passam grande parte do dia. E exortou também a um renovado espírito missionário, para mostrar aos homens e às mulheres o amor de Deus.

Antes de proferir o seu discurso, Bento XVI foi saudado pelo Cardeal Agostinho Vallini, seu vigário para a diocese de Roma, o qual recordou que a Igreja sofreu nos últimos meses, ao ver que os discursos e decisões do Papa foram interpretados de maneira errada.
No seu discurso, o Papa pediu maior sintonia entre a diocese e os movimentos eclesiais. Chamou a atenção para o sofrimento das novas gerações com o enfraquecimento das relações pessoais, mas disse que o cristianismo é capaz de superar o individualismo e a solidão.

Para Bento XVI, os leigos devem deixar de ser apenas colaboradores do clero e assumir maiores responsabilidades na vida da Igreja, na sua tarefa de promover a evangelização. “Todos fazem parte do povo de Deus, desde o Papa até a última criança baptizada” - salientou.

Em seguida, o pontífice alertou para as “rivalidades, controvérsias e invejas” existentes dentro da Igreja, afirmando que os movimentos devem estar atentos aos seus percursos de formação e à pertença à comunidade paroquial.

Voltou a esclarecer que o Concílio Vaticano II não foi um momento de ruptura com o passado, e criticou os excessos de interpretações sociológicas sucessivas ao encontro. “O Concílio foi um evento de real e profunda renovação” – frisou.

Este Congresso da diocese de Roma intitula-se “Pertença eclesial e co-responsabilidade pastoral”. O encontro final será novamente em São João de Latrão, na próxima sexta-feira, e será o cardeal vigário a proferir a intervenção conclusiva.