Don Divo Barsotti

Arquivo do blog

terça-feira, 26 de maio de 2009

A Igreja está muito clara em Seus documentos que Ela deseja que nós recebamos a Sagrada Comunhão na língua e não na mão



Homilia do Padre Robert Altier
(Vigésima terceira semana do Tempo Comum)
Leitura (Colossenses 1:24 – 2:3) Evangelho (São Lucas 6:6-11)

Na primeira leitura de hoje, São Paulo, na Carta dele aos Colossenses, fala sobre como, em Cristo, estão escondidos todos os tesouros de sabedoria e conhecimento. Isto é porque Ele é Deus todo-poderoso; Ele é o Criador do universo; Ele é o Salvador do mundo; Ele é Deus, absoluto e perfeito. São Paulo diz no começo da leitura que ele compensa em sua carne o que está faltando no sofrimento de Cristo, por causa do corpo de Cristo, a Igreja.

Em Cristo, agora, não há nenhum sofrimento, mas apenas no Corpo Místico. Mas há um lugar, ao qual eu gostaria de me referir esta manhã, onde eu acredito que Nosso Senhor é verdadeiramente afligido. Eu quero desafiá-los nesta área: quer dizer, a maneira pela qual nós recebemos Sagrada Comunhão. A Igreja está muito clara em Seus documentos que Ela deseja que nós recebamos a Sagrada Comunhão na língua e não na mão. Os bispos da América, como também de alguns poucos países no mundo, permitiram a Comunhão na mão como uma exceção. Mas a Igreja é muito, muito clara que Ela não nos quer recebendo Comunhão na mão.


Deixem-me explicar um pouco o porque. Em primeiro lugar, receber é algo que é passivo. O padre pega a Sagrada Comunhão porque o padre é o que oferece a Vítima em sacrifício. Então, o que oferece a Vítima também tem que tomar parte naquela Vítima. Mas as pessoas de Deus devem receber a Sagrada Comunhão. Tirar a Hóstia de sua mão e pô-La em sua própria boca significa pegar a Comunhão e não receber Comunhão; e assim é uma coisa ativa, não uma coisa passiva. O Senhor deseja se dar a você como um presente, não ser pego por você. Nós precisamos ter muito cuidado para não perdemos o simbolismo do que está acontecendo no Sacratíssimo Sacramento.


Também, se você notar, durante a Missa, depois da Consagração, meus dedos permanecem juntos por causa das partículas da Hóstia que estão ali. Quando nós pegamos a Sagrada Comunhão na mão, há partículas de Nosso Senhor que estão em nossas mãos e em nossos dedos. Este é o motivo pelo qual, depois da Comunhão, o padre purificará seus dedos - por causa das partículas da Hóstia. Mas com que freqüência as pessoas de Deus, depois de receber a Sagrada Comunhão, escovam (raspando uma mão na outra) as partículas simplesmente sobre o chão e caminham sobre Nosso Senhor. Ou põe suas mãos nos bolsos deixando Nosso Senhor aí mesmo em suas roupas. Os abusos a que isto os leva é muito grave. Não que todos estejam fazendo-o intencionalmente, mas eu penso que isto é algo que nós precisamos considerar com extremo cuidado.


O que eu digo sempre às pessoas é que você pode esperar pelo seu Dia de Julgamento e pode se perguntar como você pretende se aproximar de Nosso Senhor, porque Ele é seu Juiz. O Deus ao qual você se aproxima na Sagrada Comunhão é o mesmo ao qual você se aproximará no Dia do Julgamento. Você assume que você tirará sua mão para Nosso Santo Deus no Dia do Julgamento? Sua visão de julgamento é que você Lhe dará um aperto de mão e Lhe dirá quão maravilhoso é vê-Lo? Ou sua visão é que você fará grande reverência a Nosso Santo Deus? Minha visão é que eu me prostrarei com a face no chão - não dando-Lhe um aperto de mão.


Nós não pomos nossa mão em Deus. A Bíblia diz que Deus nos segura na palma de Sua mão. Nós não devemos segurar Deus em nossa palma. Ele nos criou; Ele nos fez em Sua imagem e semelhança. Ele é o Criador; nós somos a criatura. Nós temos que nos aproximar d’Ele com a maior reverência, com o maior respeito.

Se nós simplesmente olharmos para o fruto que tem surgido pelo fato da Sagrada Comunhão estar sendo pega pela mão, não é bom: a perda de reverência para o Santíssimo Sacramento, a familiaridade. Gratamente isto não está acontecendo aqui, mas vá para a maioria das igrejas e se pergunte se você vê as pessoas rezando antes de Missa ou se elas estão tagarelando, fazendo bagunça e conversando. Nós perdemos a reverência para a Real Presença porque Jesus é apenas o "nosso chapa" quando nós tiramos nossa mão para Ele; Ele não é nosso Deus quando fazemos isso. Assim nós precisamos ter muito cuidado.


Mas além isso, nós também podemos olhar para o que aconteceu espiritualmente às pessoas de Deus. Desde que temos recebido a Comunhão na mão, nós perdemos a visão da idéia de ir à Confissão, de nossa própria iniqüidade, da reverência que nós temos que ter para Nosso Deus. Nós fizemos da Comunhão algo tão fácil e indiferente que as pessoas perderam aquele senso de reverência, de temor, e de respeito na Presença de Nosso Senhor.


Eu o desafio a pensar muito seriamente neste assunto. Os bispos, como eu digo, permitiram isto; não é um pecado se você receber a Sagrada Comunhão na mão. Em alguns lugares na Igreja Primitiva eles fizeram isso; São Justino fala sobre isto. Mas a Igreja parou isto por causa dos abusos que estavam acontecendo contra o Santíssimo Sacramento. Eu lhe peço que reze realmente sobre isso. Olha para Jesus na Eucaristia e se pergunte, "Eu realmente, verdadeiramente acredito que isto é Deus? Que isto é meu Criador e meu Redentor? Como, então, desejo me aproximar d’Ele?" Eu realmente acredito que, se você rezar assim, só há uma conclusão à qual você pode chegar.


Então, eu lhes imploro, não permaneçam calados sobre isto. Contem a seus amigos. Falem para sua família. Levem esta palavra a outros porque todas essas pessoas boas lá fora, eu não penso que eles estão voluntariamente tentando fazer alguma coisa que aflija Nosso; eles estão fazendo o que lhes disseram para fazer. Mas novamente, olha para o que aconteceu nos últimos quarenta anos desta prática particular e se pergunte se o fruto que nasceu foi bom. Obviamente, você ama Nosso Senhor: Você está aqui na Missa diária; você está aqui todas as manhãs. O amor de Nosso Senhor é evidente em você. Espalhe este amor de Jesus. O amor que está em seu coração, proclame a outros e lhes peça da mesma maneira que considerem suas ações para com Nosso Senhor. Devolvamos a reverência a Nosso Senhor no Santíssimo Sacramento de forma que possamos Lhe prestar a devida adoração e louvor porque Ele é Deus, em quem todos os tesouros de sabedoria e conhecimento estão contidos.
Fonte:S.Pio V