BEATO CARLO ACUTIS , A EUCARISTIA É A MINHA AUTO -ESTRADA PARA O CÉU

 


Arquivo do blog

quinta-feira, 24 de outubro de 2019

DISCÍPULO E “ALTER EGO” DE PLINIO CORRÊA DE OLIVEIRA

fonte
sacada-ae
Um testemunho vivo acaba de vir a lume: “O dom de sabedoria na mente, vida e obra de Plinio Corrêa de Oliveira”, coleção em cinco volumes publicada pela Libreria Editrice Vaticana.
Quarenta anos de convivência com seu mestre, modelo e guia fazem de Mons. João Scognamiglio Clá Dias, EP, a voz mais autorizada para falar da atuação, virtudes e pensamento de Plinio Corrêa de Oliveira.
Veja como isso se deu.
Em 15 de agosto de 1939, solenidade da Assunção da Virgem Maria ao Céu, nascia em São Paulo João Scognamiglio Clá Dias.
REZANDO À NOITE ENTREVIA UMA SILHUETA
Dr. Plinio com o Hábito carmelita como Mons João o viu
Dr. Plinio com o Hábito carmelita como Mons João o viu
Quando chegou à adolescência afligia-se ao constatar quanta gente se deixava escravizar pelo egoísmo, buscando tão só seus próprios interesses. Mas uma voz nascida da fé lhe dizia em seu interior: “Tem que haver no mundo um homem integramente bom e que não viva só para seu próprio interesse. Ele está em meu caminho e algum dia me encontrarei com ele”.
Por isso todas as noites se ajoelhava aos pés da cama e, com lágrimas nos olhos, rezava várias ave-marias pedindo para conhecer quanto antes a esse varão, cuja silhueta, por singular favor do Céu, já entrevia.
Desde o primeiro encontro com Dr. Plinio sua mentalidade se uniu com a de seu mestre. Imediatamente tomou a resolução de abandonar tudo para servir a Deus na pessoa deste homem.
“NINGUÉM ME DEU TANTAS E TÃO GRANDES ALEGRIAS”
Dr. Plinio e Mons. João durante uma refeição
Dr. Plinio e Mons. João durante uma refeição
Participando, em alto grau, do dom de sabedoria de Dr. Plinio — tão característico de sua espiritualidade —, se converteria em seu discípulo por excelência.
O comportamento sempre impecável do jovem João, a ousadia e a fidelidade que marcavam suas ações levariam Dr. Plinio a qualifica-lo de “bastão de minha velhice”, “auxiliar de ouro”, “instrumento abençoado”. “Manda a justiça que o diga: ninguém me deu tantas e tão grandes alegrias quanto você”, escrevia Dr. Plinio em certa ocasião.
Um forte, íntimo e singular vínculo sobrenatural se estabeleceu entre discípulo e mestre. Dr. Plinio, mais que um seguidor o um simples filho espiritual, o considerava seu alter ego — seu “outro eu”.
A DEVOÇÃO A DONA LUCILIA
Dona Lucilia em Paris
Dona Lucilia em Paris
Também marcaria profundamente a vida de Mons. João, a bondosíssima mãe de Dr. Plinio, Lucilia Ribeiro dos Santos Corrêa de Oliveira, cuja biografia escreveria ele mesmo e seria publicada em 2013 pela Libreria Editrice Vaticana em quatro idiomas: português, inglês, espanhol e italiano.


Para Mons. João, Dona Lucilia foi o “anjo da guarda” que lhe ajudaria a compreender melhor a infinita misericórdia do Sagrado Coração de Jesus.