Don Divo Barsotti

Arquivo do blog

terça-feira, 29 de outubro de 2019

Oração do Coração para o Fiel Viver no Mundo pelo Élder Joseph de Vatopaidi (Filho Espiritual do Élder Joseph the Hesychast)

source

Faz-se sempre a pergunta: "É possível que os que vivem no mundo se ocupem com a oração noética [1]"? Aos que perguntam, respondemos afirmativamente: "Sim". Para que esta nossa exortação seja compreensível para os interessados, mas ao mesmo tempo para conscientizar os ignorantes, explicaremos brevemente para que ninguém seja colocado num dilema pelas várias interpretações e definições da oração noética que existem.

Em geral, a oração é a única ocupação e virtude obrigatória e indispensável para todos os seres racionais, sejam eles sencientes ou pensantes, humanos ou angélicos. Por esta razão, somos ordenados à prática incessante da oração [2].

A oração não se divide dogmaticamente em tipos e métodos, mas, segundo nossos Padres, todo tipo e método de oração é benéfico, desde que não seja de diabólica ilusão e influência. 
O objetivo deste trabalho todo-virtuoso é voltar e manter a mente do homem sobre Deus. Para isso, os nossos Padres conceberam métodos mais fáceis e simplificaram a oração, para que a mente se possa voltar mais fácil e firmemente para Deus e permanecer em Deus. Com as demais virtudes, outras partes do corpo humano entram em jogo e os sentidos intervêm, enquanto que na oração abençoada a mente é plenamente ativa; portanto, é necessário muito esforço para incitar a mente e refreá-la, a fim de que a oração se torne frutífera e aceitável. Os nossos santos Padres, que amavam a Deus em plenitude, tinham como principal estudo a união com Deus e a permanência contínua n'Ele; por isso converteram todos os seus esforços na oração como o meio mais eficaz para este fim...

   ... É impossível, segundo os Padres, para o nosso bom Mestre, ser assim continuamente chamado, para não nos ouvir, Aquele que tanto deseja a salvação dos homens.

Assim como uma virtude natural a que se aspira só pode ser alcançada com os meios favoráveis, assim também este santo trabalho requer alguns rudimentos quase indispensáveis: um grau de quietude; a liberdade dos cuidados; o evitar de aprender e difundir a "notícia" das coisas acontecendo, o "dar e receber" como os Padres o disseram; a autodisciplina em todas as coisas; e um silêncio total que nasce destas coisas...

Com certeza, enfatizamos a perseverança como o elemento mais indispensável na oração. (Col 4, 2) Ao contrário do que acontece com as outras virtudes, a oração exige esforço durante toda a nossa vida e, por isso, repito àqueles que procuram não se sentir sobrecarregados, nem considerar a necessidade de perseverança como um fracasso nesta obra sóbria.

No início é necessário dizer a oração em sussurro, ou ainda mais alto quando confrontados com a coação e a resistência interior. Quando esse bom hábito é alcançado a ponto de que a oração seja sustentada e dita com facilidade, então podemos nos voltar para dentro com completo silêncio exterior. Na primeira parte do pequeno livro (Caminho do Peregrino) é dado um bom exemplo da iniciação à oração. 

 A persistência e o esforço sadios, sempre com as mesmas palavras da oração, não sendo frequentemente alteradas, darão origem a um bom hábito. Isso trará o controle da mente, quando a presença da Graça se manifestará.

Assim como toda virtude tem um resultado correspondente, assim também a oração tem como resultado a purificação da mente e a iluminação. Ela chega ao bem mais elevado e perfeito, a união com Deus, isto é, a divinização real (teose). ..todos nós, cristãos, devemos esforçar-nos na oração, particularmente naquilo que se chama oração monológica [4] ou oração noética. Se alguém chegar a tal oração, encontrará muito lucro.

Pela presença da oração de Jesus, o homem não é entregue à tentação que ele espera, porque a sua presença é vigilância sóbria e a sua essência é a oração; por isso "aquele que vigia e ora não entra em tentação". Além disso, não é entregue às trevas da mente para se tornar irracional e errar nos seus juízos e decisões. Não cai na indolência e na negligência, que são a base de muitos males. Além disso, não é vencido por paixões e indulgências onde é fraco, e particularmente quando as causas do pecado estão próximas. Pelo contrário, o seu zelo e a sua devoção aumentam. Ele se torna ávido por boas obras. Torna-se manso e perdoa. Cresce de dia para dia na sua fé e no seu amor a Cristo, o que o inflama para todas as virtudes. Temos muitos exemplos em nossos dias de pessoas, e particularmente de jovens, que com o bom hábito de fazer a oração foram salvos de perigos espantosos, de quedas em grandes males, ou de sintomas que levam à morte espiritual.

Por conseguinte, a oração é um dever para cada um dos fiéis, de todas as idades, nacionalidades e estatutos, independentemente do lugar, do tempo e do modo. Com a oração, a Graça divina torna-se ativa e oferece soluções para os problemas e provações que perturbam os fiéis, de modo que, segundo as Escrituras, "Todo aquele que invocar o Senhor será salvo". (At 2,21)

 ... Por meio da imagem, a mente é espalhada. Da mesma forma, por meio de imagens é criada a entrada para pensamentos e delírios. A mente deve permanecer no sentido das palavras, e com muita humildade a pessoa deve esperar a misericórdia divina.. . O modo como a Graça se manifesta aos iniciados é pela alegria espiritual, pela calma  ...

Gradualmente, a Graça torna-se o sentido do amor de Cristo, momento em que cessa completamente o movimento da mente e o coração se aquece tanto no amor de Cristo que pensa que não pode suportar mais. Outras vezes ainda se pensa e deseja permanecer para sempre exatamente como se encontra a si mesmo, não procurando ver ou ouvir mais nada. Todas estas coisas, assim como várias outras formas de ajuda e conforto, são encontradas nas fases iniciais por todos quantos procuram dizer e manter a oração, na medida em que ela depende delas e é possível. Até aqui, que é tão simples, penso que toda a alma baptizada e que vive de modo ortodoxo deveria poder pô-la em prática e estar nesta alegria e deleite espiritual, tendo ao mesmo tempo a protecção e a ajuda divina em todas as suas acções e actividades.

Reitero uma vez mais a minha exortação a todos os que amam a Deus e à sua salvação para que não deixem de experimentar este bom trabalho e esta boa prática em nome da Graça e da misericórdia que ela oferece a todos os que se esforçarem um pouco neste trabalho. Digo-lhes isto por coragem, que não hesitem ou desmaiem por causa da pequena resistência ou cansaço que encontrarão...  

   Penso que no caos de hoje de tal tumulto, negação e incredulidade não existe uma prática espiritual mais simples e fácil que seja viável para quase todas as pessoas, com uma tal multidão de benefícios e oportunidades de sucesso, do que esta pequena oração.

Quando se está sentado, em movimento ou a trabalhar, e se é necessário estar até na cama, e geralmente onde e como quer que se encontre, pode-se fazer esta pequena oração que contém em si mesma fé, confissão, invocação e esperança. Com tão pouco trabalho e esforço insignificante, o mandamento universal de " orar sem cessar " (1 Tess. 5, 17) é cumprido na perfeição... Nosso objetivo é exortar e encorajar cada crente a trabalhar na oração. Em seguida, cada um aprenderá com sua própria experiência o que dissemos de forma tão pobre.

Avançai com os duvidosos, os desanimados, os angustiados, os ignorantes, os de pouca fé e os que sofrem provações de vários tipos; avançai para a consolação e para a solução dos vossos problemas. O nosso doce Jesus Cristo, a nossa Vida, proclamou-nos que "sem Mim nada podeis fazer". (Jo 15,5) Assim, eis que, invocando-O continuamente, nunca estamos sós; e consequentemente "podemos e faremos todas as coisas por Ele". (cf. Fl 4,13) Eis o significado correto e a aplicação da significativa frase da Escritura: "Invocai-me no vosso dia de angústia e Eu vos livrarei, e vós me glorificaríeis". (Salmo 49(50):15) Vamos invocar o Seu Nome Santíssimo não só "no dia da angústia", mas continuamente; para que as nossas mentes sejam iluminadas, para que não entremos em tentação. Se alguém quiser subir ainda mais alto onde a santa Graça o atrair, passará por este ponto de partida, e será "falado" [5] a respeito dele, quando ele chegar lá.

Como epílogo do que foi escrito, repetimos nossa exortação, ou melhor, nosso encorajamento a todos os fiéis de que é possível e vital que eles se ocupem com a oração: "Senhor Jesus Cristo, tem misericórdia de mim",... com uma fé segura de que eles serão muito beneficiados, independentemente do nível que atinjam. A lembrança da morte e uma atitude humilde, juntamente com as outras coisas úteis que mencionamos, garantem o sucesso através da graça de Cristo, a invocação de Quem será o objetivo desta virtuosa ocupação. Amém.


Enviado à OCIC pelo Pe. Luke Hartung. Fonte original desconhecida. Publicado em 21/08/2005.