Don Divo Barsotti

Arquivo do blog

segunda-feira, 28 de outubro de 2019

São Teófano Recluso - Homilia 4 Vida de Oração



Três vezes falei-vos da oração

1. Sobre como ler orações com atenção,
2. Sobre como ascender a Deus mentalmente e em seu coração,
3. E como estar constantemente diante de Deus com um espírito ardente.
O Senhor nos instruiu em vários graus e tipos de oração, para que cada um, segundo as suas forças, pudesse ser participante da bondade da oração. Porque o trabalho da oração é um grande trabalho. É, como eu disse, o testemunho da vida espiritual, e também o alimento da vida espiritual. É preciso trabalhar para a perfeição na oração mais do que todas as outras coisas.

Advertência - Também é preciso trabalhar nas virtudes
Lembrei-vos de como ter êxito em cada tipo de oração. Agora quero adverti-los:
É difícil, se não impossível, ter êxito na oração, se não trabalharmos ao mesmo tempo em outras virtudes.

Se compararmos a oração a um perfume, e a alma a um frasco de perfume, então entenderemos que, como o perfume não guarda seu perfume em um recipiente cheio de buracos, também a alma não pode continuar a rezar se houver falta de virtude.

Se compararmos alguém que reza com todo o corpo, então vemos a seguinte lição: como é impossível para um homem sem pernas andar, mesmo que o resto de seu corpo seja saudável, então é impossível aproximar-se de Deus, ou chegar a Deus em oração, sem virtude ativa. Olhai nos ensinamentos apostólicos, e vereis que neles a oração não está só, mas junto com toda uma série de virtudes.

Por exemplo, o apóstolo Paulo arma um cristão em batalha espiritual e o veste com toda a armadura de Deus. Veja o que é isso:

O cinto é a verdade,
a armadura é a justiça,
os sapatos são o evangelho da paz,
o escudo é a fé,
o capacete é esperança,
a espada é a palavra de Deus (Ef 6.14-17).

Tais armas!

Depois de tudo isso, ele coloca seu guerreiro em oração como se estivesse em algum tipo de fortaleza:
"orar sempre no espírito com toda sorte de oração e súplica" (Ef 6.18).

É possível que a oração sozinha derrote todos os inimigos, mas para ser forte na oração, é preciso ter sucesso na fé, na esperança, na verdade, na justiça e em todo o resto.

Em outro lugar, o mesmo apóstolo adorna a alma com roupas de noiva como a noiva de Cristo, dizendo,

"Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, benignidade, humildade de espírito, mansidão, longanimidade; suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver uma contenda contra alguém; assim como Cristo vos perdoou, assim também vós o fazei. E sobre todas estas coisas revesti-vos do amor, que é o vínculo da perfeição. E reine em vossos corações a paz de Deus, à qual também sois chamados em um só corpo; e sede agradecidos. A palavra de Cristo habite em vós ricamente em toda a sabedoria, ensinando e admoestando-vos uns aos outros com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando com graça em vossos corações ao Senhor" (Col 3,12-16).

Em muitos outros lugares da Palavra de Deus, a oração está intimamente ligada a todas as outras virtudes, como sua rainha, depois da qual todos se esforçam, e que atrai todos eles para si mesmos, ou melhor ainda, como sua flor perfumada. Como é necessário que uma flor seja coberta de folhas, além de ter um caule, ramos e raiz, para atrair a atenção, é necessário também que a oração seja acompanhada de outras boas inclinações e trabalhos espirituais, para que floresça como uma flor na alma; a fé é a raiz, o amor ativo é como um caule e ramos, e os trabalhos de natureza espiritual-física são como folhas.

Quando tal árvore santa é plantada na alma, então de manhã, à noite e durante o curso do dia, de acordo com o seu estado, as flores da oração florescerão livremente e encherão todas as nossas câmaras interiores de fragrância.
Recordo-vos tudo isto, para que ninguém pense: "Eu trabalho na oração, e isso é suficiente". Não - é preciso trabalhar e ser zeloso de todas as coisas juntas, rezando e trabalhando em todas as virtudes.

É verdade que é impossível ter êxito nas virtudes sem a oração, mas também é necessário trabalhar nas virtudes enquanto se reza, para que a oração possa mostrar a sua cooperação nestas virtudes.

Para ter êxito na oração, é preciso rezar, mas o trabalho de oração deve ser usado como meio para as virtudes.

É preciso preocupar-se com todas as coisas e esforçar-se sempre por estar do lado certo. A mesma coisa acontece em um relógio. Um relógio funciona bem e mostra a hora correta somente quando todas as engrenagens e outras partes internas estão completas e em seu lugar correto, e unidas corretamente. O mesmo acontece em nosso mecanismo espiritual interior: o esforço da alma será verdadeiro como uma flecha, direcionada diretamente para Deus, quando todas as outras partes da alma estiverem inteiras e estabelecidas em seus lugares corretos, por assim dizer, colocados em virtude.

Tipo de virtudes que rodeiam a oração

Ensinar-vos-ei que tipo de virtudes devem rodear a vossa oração, ou que tipo de vida orante e virtuosa um cristão deve plantar em si mesmo, não nas minhas próprias palavras, mas nas palavras da santa hierarquia Dimitri de Rostov, que enumera brevemente estas coisas nas seguintes instruções (da Instrução Espiritual Cristã, parte 1, p. 288):

1. Quando acordares, que o teu primeiro pensamento seja sobre Deus, que a tua primeira palavra seja uma oração a Deus, teu criador e guardião da tua vida, que é sempre capaz de dar vida ou destruí-la, que pode atacar com doença e cura, e que pode salvar ou destruir.
2. Inclinai-vos e dai graças a Deus, que vos ressuscitou do sono, e que não permitiu que perecêsseis nos vossos pecados, mas com longanimidade esperou o vosso arrependimento.
3. 3. Faça um começo para coisas melhores, dizendo com o salmista: "Porque ninguém completa o caminho para o céu, a não ser aquele que todos os dias faz um bom começo.
4. 4. Desde a manhã ore como os serafins, aja como os querubins e esteja rodeado de anjos.
5. Não percam mais tempo. Fazei somente as coisas que são necessárias.
6. Em todas as obras e palavras, guardai a vossa mente em Deus; não escrevais nada na vossa mente senão Cristo, e nenhuma imagem toque o vosso puro coração senão a pura imagem de Cristo nosso Deus e Salvador.
7. Despertai-vos para o amor de Deus em todas as coisas, sempre que puderdes, especialmente dizei a vós mesmos com o Salmista: "Na minha meditação se acendeu um fogo" (Sl 38.4).
8. 8. Desejais amar a Deus, cuja visitação sempre vedes e contemplais com os vossos olhos interiores, por isso afastai-vos de todas as más acções, palavras e pensamentos. Fazei, dizei e pensai todas as coisas com honra, humildade e temor de um filho.
9. Que a mansidão com louvor e a humildade com honra estejam juntas.
10. Que as vossas palavras sejam silenciosas, humildes, honrosas e úteis. Deixe o silêncio decidir as palavras que você diz. De agora em diante, que nenhuma palavra vazia ou podre escape dos vossos lábios.
11. Se algo engraçado acontecer, permita-se apenas um sorriso, e isso não é frequente.
12. 12. Cairás em prodigalidade pela ira, pela ira, pela ira e pela discussão: mantém-te moderado na ira.
13. Sempre observe moderação ao comer e beber.
14. Seja condescendente em todas as coisas, e Deus te abençoará, e as pessoas te louvarão.
15. 15. Você deve orar sobre a sua morte, que é o fim de todas as coisas.

Vejam que tipo de vida maravilhosa é ensinada ao cristão orante.

É verdade que em um lugar temos falado mais sobre oração, isto é, sobre mental e de coração voltado para Deus, mas em outro lugar, outras virtudes têm sido mencionadas, e mesmo sem todas elas juntas, é impossível ter uma base na oração.

Que todos se esforcem com conhecimento: estar na oração e no exercício é segundo a vossa instrução. Como podeis estar em pé para orar se estais sobrecarregados com intemperança, ou levados pela ira, ou se não estais em paz, ou se estais distraídos pelo trabalho, pela falta de atenção e assim por diante?

Se devemos evitar essas coisas, então devemos nos esforçar para alcançar o o oposto: isto é, a virtude. Por isso, São João da Escada fala de oração, dizendo que é a mãe e a filha das virtudes.

Ouvindo isto, alguns poderiam dizer: "Que grandes exigências! Que fardo pesado! Onde posso encontrar tempo e força?

Mas sede fortes, irmãos! Muito pouco é necessário, e só se deve assumir uma coisa: o zelo por Deus e a salvação n'Ele em vossa alma.

Por sua natureza, a alma tem muito bem dentro dela e só é desviada para todas as coisas más. Assim que o zelo pela salvação e pelo agrado de Deus nasce na alma, toda a bondade se reúne em torno desse zelo, e imediatamente não aparece na alma nenhuma pequena quantidade de bem. Então o zelo, fortalecido pela graça de Deus, com a ajuda deste bem inicial, começa a encontrar mais bondade, a enriquecer-se com ela, e tudo começa a crescer gradualmente.

O zelo em si mesmo já tem o início da oração. Alimenta-se primeiro pela virtude natural, e depois começa a alimentar-se das obras de virtude que engendrou, e cresce e se torna forte, e floresce e começa a cantar e cantar a Deus com um canto harmonioso e orante no coração.

Que o Senhor te ajude a ter sucesso nisso. Amém.

Anterior - Homilia 3- Oração incessante



Descarregar ficheiro pdf desta Homilia
Traduzido do russo pelo Rev. P. Michael van Opstall - Janeiro de 2007
Fonte: http://www.monachos.net/content/patristics/patristictexts/231-theophan-prayer4