Don Divo Barsotti

Arquivo do blog

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Bento XVI ordena 5 bispos e lhes pede que não trabalhem para si mesmos


CIDADE DO VATICANO, domingo, 13 de setembro de 2009 (ZENIT.org).- Bento XVI ordenou neste sábado na Basílica Vaticana cinco bispos italianos que foram próximos colaboradores seus e lhes pediu que não trabalhem para eles mesmos, mas para a comunidade.
Três dos ordenados trabalharam com ele na Secretaria de Estado e agora serão seus representantes em diferentes países: Dom Gabriele Giordano Caccia (Milão, 1958), será núncio apostólico no Líbano; Dom Franco Coppola (Maglie, 1957), em Burundi, e Dom Pietro Parolin (Schiavon, 1955), na Venezuela.
Entre os novos bispos se encontra Dom Raffaello Martinelli, nascido em Villa d'Almé, em 1948, que foi colaborador próximo do cardeal Joseph Ratzinger na Congregação para a Doutrina da Fé, e que foi eleito bispo de Frascati, diocese muito próxima de Roma.
Por último, Dom Giorgio Corbellini (Travo, 1947), desempenhou seu ministério sacerdotal na Santa Sé, chegando a ser subsecretário geral do Governo da Cidade do Vaticano. Bento XVI o nomeou presidente do Departamento do Trabalho da Sé Apostólica.
Fidelidade, prudência e bondade
Na homilia o Papa traçou o retrato espiritual do bispo com três características: "fidelidade", "prudência" e "bondade".
Ao falar da fidelidade, o Santo Padre reconheceu: "sabemos como a sociedade civil e às vezes a Igreja sofrem pelo fato de que muitos, que receberam alguma responsabilidade, trabalham para si mesmos e não para a comunidade, para o bem comum".
"A fidelidade do servo de Jesus Cristo consiste precisamente no fato de que não busca adequar a fé às modas do momento. Só Cristo tem palavras de vida eterna e temos de levar estas palavras às pessoas", sublinhou.
Ao falar da prudência, como segunda característica do bispo, o Papa declarou que não é "astúcia".
"Prudência significa colocar-se em busca da verdade e agir em coerência com ela. O servo prudente é antes de tudo um homem de verdade", sublinhou.
Por último, apresentou a bondade como característica do bispo, que "cresce ao unir-se interiormente com o Deus vivo".
De fato, perguntou: "com quem se poderia aprender a verdadeira bondade a não ser com Ele, que nos amou até o final?".
A segunda ordenação episcopal do pontificado
Foi a segunda ordenação episcopal do pontificado de Bento XVI, depois da que aconteceu em 29 de setembro de 2007.
Deste modo, os prelados ordenados por este Papa já são onze, que se acrescentam aos quatro que Joseph Ratzinger ordenou quando era cardeal.
Co-ordenantes foram os cardeais Tarcisio Bertone, secretário de Estado, e William Levada, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé.
Depois da comunhão, ao entoar-se o "Te Deum", os novos bispos abençoaram os participantes na celebração litúrgica. Depois da bênção apostólica, o Papa regressou de helicóptero para Castel Gandolfo.
© Innovative Media, Inc.