Don Divo Barsotti

Arquivo do blog

domingo, 13 de setembro de 2009


Para nos salvarmos serve uma vida e comportamento puríssimos, salientou Bento XVI antes da recitação do Angelus com o convite aos cristãos a serem corajosos na fidelidade ao Evangelho


A fé não basta para se salvar: serve também uma vida recta e o amor puro e generoso para com o próximo, os irmãos: recordou Bento XVI antes da recitação da oração mariana do Angelus do meio dia com os milhares de fiéis congregados neste domingo no pátio interno do palácio pontificio de Castelgandolfo.O Papa citou estas palavras severas de São João Crisóstomo para comentar a afirmação do Evangelho deste XXIV Domingo do Tempo Comum “ esta é a vida eterna: que te conheçam a Ti, por único Deus verdadeiro, fazendo seu o convite do antigo padre da Igreja a “não pensar que este versículo seja suficiente para nos salvarmos: são necessários uma vida e um comportamento puríssimos .“Jesus – recordou Bento XVI - não veio ensinar-nos uma filosofia, mas a mostra-nos um caminho, melhor ainda, o caminho que conduz á vida.Este caminho é o amor, que é expressão da verdadeira fé. Se um ama o próximo com coração puro e generoso quer dizer que conhece verdadeiramente Deus. Se pelo contrário alguém diz que tem fé mas não ama os irmãos, não é um verdadeiro crente. Deus não mora nele, porque como afirma claramente São Tiago na segunda leitura da Missa deste Domingo, “ a fé sem as obras está pura e simplesmente morta”.Queridos amigos - prosseguiu depois o Papa – amanhã celebraremos a festa da Exaltação da Santa Cruz., e no dia seguinte Nossa Senhora das Dores.A Virgem Maria que acreditou na Palavra do Senhor, não perdeu a sua fé em Deus quando viu o seu Filho recusado, ultrajado e crucificado. Permaneceu ao pé de Jesus, sofrendo e orando até ao fim. E viu a aurora radiosa da Sua Ressurreição.Aprendamos dela – concluiu - a testemunhar a nossa fé com uma vida de serviço humilde, prontos a pagar pessoalmente para permanecermos fiéis ao Evangelho da caridade e da verdade, certos de que nada se perde de tudo aquilo que fazemos.
fonte:radio vaticano