http://4.bp.blogspot.com/_14vrv7ni7HM/TLYyK0PS85I/AAAAAAAABU8/h4xBT0R8kQU/s1600/20101013225550_D0064009.jpg
ABADIA DE NOSSA SENHORA DE FONTGOMBAULT  CELEBRA TODA A LITURGIA  NA REFORMA DO MISSAL FEITA POR SÃO JOÃO XXIII
EM 1962 E LIBERALIZADA POR SUA SANTIDADE BENTO XVI EM 7/7/2007 COM O MOTU PRÓPRIO "SUMMORUM PONTIFICUM".
ACTUALMENTE A COMUNIDADE CONTA COM CERCA DE 60 MONJES E FUNDOU MAIS OUTRAS 5 ABADIAS DE QUE ELA É A CASA-MÃE,
TODAS REZAM O BREVIÁRIO MONÁSTICO EM LATIM E A A SANTA MISSA É SEMPRE CELEBRADA NA FORMA EXTRAORDINÁRIA EM
FORMA SOLENE E CANTADA EM GREGORIANO.


  

Arquivo do blog

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

O Movimento dos Oblatos Beneditinos no Mundo

 

Estatuto dos Oblatos


 
 CONGREGAÇÃO BENEDITINA DO BRASIL

ESTATUTO DOS
OBLATOS BENEDITINOS SECULARES

Aprovado ad experimentum pelo Capítulo Geral
da Congregação Beneditina do Brasil em 11 de Maio de 2011
  
O  Movimento dos
Oblatos Beneditinos no Mundo

*Artigo de Dom Rembert Weakland, OSB

O Movimento dos Oblatos entre o antigo e o novo estilo

Quando considero o mundo monástico, vejo que, hoje, o Movimento dos Oblatos está em vias, como direi, de mudança. É um momento de fluidez. Passamos de um antigo sistema de organização para algo um pouco novo. É difícil prever qual será o resultado desse porvir.

Creio que será um retorno aos valores fundamentais da espiritualidade monástica, e também a um tipo de relacionamento bem mais íntimo entre o mosteiro e os Oblatos. Entretanto, a modalidade desse relacionamento ainda não está clara. Sempre tive a impressão de que, quando há uma mutação cultural total no mundo e também na Igreja, isto é, quando se está em vias de passar de um período da história para outro, os mosteiros assumem uma maior importância, porque são comunidades cristãs estáveis em um mundo que muda. Olha-se para os mosteiros como um lugar que pode integrar a melhor tradição do passado e dar a esses valores uma nova expressão no mundo do futuro.

Nesse momento histórico, o mundo monástico tem precisamente um papel importante para ajudar nossa civilização cristã com os valores permanentes de nossa Fé.

Dentre os elementos mais importantes de nossa vida monástica sobre os quais gostaria de lhes falar, encontra-se a estabilidade.

É interessante dar uma olhada nas revistas publicadas hoje em dia para os Oblatos : quantas vezes se fala nelas de estabilidade! Como é importante, hoje, para os monges, a perseverança, a estabilidade. Hoje ainda, um elemento, é um valor importante. E vejo como, para os Oblatos, o acento colocado sobre essa virtude e sobre a oração. 


Elementos da espiritualidade dos Oblatos

É interessante ver a que ponto, hoje, a oração litúrgica entra na espiritualidade dos Oblatos. Esse valor da liturgia é capital para nós, mas também para vocês. Diga-se o mesmo para o valor monástico da solidão, quero dizer, da oração verdadeiramente pessoal; importantíssima para nós atualmente, ela o é também para os Oblatos. No momento em que tudo, no mundo, caminha com a máxima rapidez, experimentamos a necessidade de um pouco de afastamento do mundo, de um certo tempo de paz e de solidão.

Eu diria que é um dever para os nossos mosteiros tornar possível aos Oblatos esses momentos de solidão.

Há também, parece-me, algo a ser dito sobre o equilíbrio entre o trabalho e oração que falta enormemente na vida de cada um.

Desse valor fala-se agora bastante nos meios monásticos. Também, nesse momento de mutação cultural, vejo a utilidade de que há, para o mosteiro, de rever e avaliar esses dois valores permanentes e ajudar os Oblatos a vive-los.


Monges e Oblatos confrontados às atuais mutações culturais

Ainda uma palavra, sobre algo muito importante. Antigamente, em história, dizia-se que os monges, nesses momentos de mutação cultural, puderam salvar a cultura greco-romana e assim criar uma nova cultura ocidental. Presentemente, nós monges somos bem mais modestos. Perante a complexidade do mundo atual, com mudanças culturais tão vastas, além do pouco de vocações que temos, devemos ser bem mais humildes. Quando os historiadores me perguntam se seria possível que nós monges pudéssemos retomar a obra dos monges dos séculos V e VI, eu respondo sempre : não. De fato, não somos mais tão numerosos como outrora, não temos as mesmas capacidades e, além do mais, as mudanças culturais são muito vastas e complexas! Devemos ser bem mais humildes. No entanto, hoje temos uma outra maneira de abordar essas mudanças, quero dizer, não somente como monges, mas como monges unidos aos Oblatos, numa espécie de mosteiro mais amplo, no sentido em que o mosteiro englobe Oblatos e Oblatas. Desse modo, o mosteiro aumenta sua extensão e pode fazer um bem muito maior.

Para ajudar nossa civilização em face de qualquer mudança, não importa qual, devemos aceitar a dimensão do mosteiro incluindo Oblatos e Oblatas. Tomemos, por exemplo, o domínio das ciências. Não se pode mais pedir aos monges que sejam especialistas em todos os setores das ciências.

Em nossos dias os monges não podem mudar uma cultura sem esse prolongamento do mosteiro que vocês constituem. É algo que atualmente me parece muito importante e pede de nossa parte mais humildade e uma colaboração mais empenhada com vocês.


O carisma monástico na Igreja, para a Igreja

Quando viajo pelas diversas partes do mundo digo aos monges que eles devem ter um senso eclesial mais acurado. Nós, monges, nos gabamos de ser independentes. Cada mosteiro é autônomo e por isso achamos que nos bastamos a nós mesmos.

Meu mosteiro tem uma mina de carvão. Temos também um dínamo para a eletricidade e proclamamos que não temos necessidade da sociedade que nos cerca porque podemos fazer tudo por nós mesmos...Uma vez chegamos até a fabricar tijolos para construção...e assim por diante. No momento presente, vemos que fazer tudo isso por conta própria sai muito mais caro. É bem mais fácil comprar eletricidade do que produzí-la. E assim vamos nós, cada vez mais nos tornando tributários da sociedade onde vivemos. É natural. Talvez os monges vendo a independência ou, sobretudo, a autonomia que tiveram, tenham se constituído um pouco como Igrejas quase independentes, em Igrejas de elite.

Em viagem, ouço com frequência a opinião de outras pessoas sobre os monges : Mas os monges, são a classe do esnobismo espiritual! Fala-se assim a nosso respeito por causa de nossa independência infelizmente orgulhosa. Quando vou a algum mosteiro, procuro dizer aos monges o que dizia São Paulo: A cada um é dada a manifestação do Espírito, em vista do bem de todos (1Cor 12,7). É preciso evitar com todo cuidado acreditar que somos independentes da Igreja. Todo carisma é para a Igreja, e os monges também são para a Igreja.


Os Oblatos necessários para os monges

Portanto, é para nós uma obrigação ter Oblatos e Oblatas. Não é algo que se faça por bondade, para difundir nossa espiritualidade. Nossa espiritualidade monástica é para a Igreja e deve verdadeiramente ajudar a comunidade eclesial. Não se trata, pois, de fazer alguma coisa por vocês, graças ao grupo de Oblatos, por bondade e dever de fazê-lo ou para aparecermos : quando se fala hoje de Oblatos, trata-se de uma necessidade vital para os mosteiros. A comunidade monástica deve de alguma maneira se dilatar. Falando certo dia a um grupo de monjas beneditinas, Paulo VI lhes disse: Quando os hóspedes vêm ao mosteiro, não é por que suas hospedarias são bastante confortáveis, pois pode-se ir para um hotel onde se encontra coisa melhor; o que motiva a vinda de alguém a um mosteiro, hoje, é o desejo de viver em um ambiente de fé, de estar em contato com uma comunidade que vive a fé. A vida monástica não tem sentido algum se nela não existe fé.

O desejo do cristão atual de estar perto de um mosteiro, é de nele encontrar um reconforto, um apoio em sua vida de fé. Igualmente nós monges temos um dever de partilhar com os outros nossa fé na Igreja; como São Paulo foi reconfortado em sua fé à vista das comunidades fiéis, do mesmo modo sejam vocês todos como São Paulo (2Ts 1,4). Quando alguém visita um mosteiro, deveria poder dizer : eu me sinto mais cristão, mais fortalecido em minha fé.


Movimento dos Oblatos : extensão do mosteiro

Gostaria de mostrar como o Movimento dos Oblatos deve se tornar uma extensão do mosteiro. É esse, pelo menos, o sentido que se dá à oblatura em nossos dias. Através dos Oblatos e Oblatas, o mosteiro com sua espiritualidade pode atingir inúmeros ambientes que, sozinho, ele não poderia de forma alguma atingir!

Digo sempre extensão. Não me agrada, e digo isso um pouco a guisa de advertência, que um grupo de Oblatos se torne um grupo de pressão sobre os mosteiros : isso pode dar ocasião a dificuldades. Oblatos e Oblatas devem caminhar com o mosteiro, não lhe opor resistência nem criar um grupo contestatório. Às vezes, vejo isso atualmente, talvez como consequência de uma falta de ligação, de uma caminhada em comum. Por conseguinte, os Oblatos não deveriam ser um grupo de vanguarda para dizer aos monges como eles deveriam viver. Isso eu digo sempre : não me sinto de modo algum à vontade quando os Oblatos me dizem como eu deveria viver minha vocação. Todos nós temos nossa vocação e é belo poder intercambiar lealmente. Eu não devo me tornar  Oblato nem viver como vocês, e reciprocamente.


Oblatura e formação

Hoje, para a espiritualidade dos Oblatos, os monges procuram evitar uma espiritualidade de clausura : é preciso, sobretudo, uma espiritualidade no mundo. Já falei sobre isso e me parece evidente.

Por conseguinte, acentua-se a oblatura como tal. Isso constrange um pouco certos Oblatos que vêem seu noviciado e sua oblação como uma imitação do noviciado e da profissão dos monges. O valor da oblação deveria ser estudado teologicamente um pouco mais a fundo.


Troca de experiências entre monges e Oblatos

Finalizando, queria dizer uma última palavra. No decurso da história, sempre concebemos a relação mosteiro-Oblatos em mão única : o mosteiro dá aos Oblatos um pouco de espiritualidade monástica. Como professores, os monges; como alunos, os Oblatos. Ao menos era a prática habitual.


Agora, começamos a praticar um intercâmbio mais largo, pois os Oblatos e as Oblatas têm uma experiência da vida que o monge não pode ter; eles têm, portanto, de um lado uma contribuição que podem dar ao monge para seu progresso e sua compreensão do mundo em que vive. É também interessante constatar em nossos dias essa colaboração entre monges e leigos para o bem da Igreja.


Fonte :
*Dom Rembert Weakland, OSB, antigo monge e Abade-Coadjutor da Arquiabadia de Saint Vincent, Pennsilvania (1963-1977), foi Abade Primaz da Confederação Beneditina (1967-1977) e posteriormente Arcebispo Metropolitano de Millwaukee, Estados Unidos (1977-2002). Hoje é Arcebispo Emérito.

Livros católicos

Ebook cattolici

Bibbia, Vangeli, Catechismo della Chiesa Cattolica, Storia della Chiesa

Dizionari

Preghiera

Classici Cristiani

  • L'imitazione di Cristo di Tommaso da KempisEPUB MOBI HTML
  • L'imitazione di Maria di Edoardo CiccodicolaEPUB MOBI HTML
  • Trattato della vera devozione a Maria di San Luigi Maria Grignion de MontfortEPUB MOBI HTML
  • Il segreto ammirabile del Santo Rosario di San Luigi Maria Grignion de MontfortEPUB MOBI HTML
  • Il grande segreto per diventare santi di San Luigi Maria Grignion de MontfortEPUB MOBI HTML
  • Le Glorie di Maria di Sant'Alfonso Maria de LiguoriEPUB MOBI HTML
  • Del Gran mezzo della preghiera di Sant'Alfonso Maria de LiguoriEPUB MOBI HTML
  • La necessità della preghiera di Sant'Alfonso Maria de LiguoriEPUB MOBI HTML
  • I racconti di un pellegrino russoEPUB MOBI HTML
  • Filotea di San Giovanni di SalesEPUB MOBI HTML
  • I fioretti di San FrancescoEPUB MOBI HTML
  • Storia di un anima di Santa Teresa di LisieuxEPUB MOBI HTML
  • Esercizi Spirituali di Sant'IgnazioEPUB MOBI HTML
  • Trattato della vita spirituale di San Vincenzo FerreriEPUB MOBI HTML
  • Il castello interiore di Santa Teresa d'AvilaEPUB MOBI HTML
  • La nuvoletta del Carmelo di San Giovanni BoscoEPUB MOBI HTML
  • Maria Ausiliatrice col racconto di alcune grazie di San Giovanni BoscoEPUB MOBI HTML
  • Maraviglie della Madre di Dio di San Giovanni BoscoEPUB MOBI HTML
  • Specchio (o salutazione) della Beata Vergine Maria di Corrado da SassoniaEPUB MOBI HTML
  • E' Gesù che passa di San Josemaría Escrivá de BalaguerEPUB MOBI HTML
  • Opera Omnia - San Francesco d'AssisiEPUB MOBI HTML
  • Opera Omnia - Santa Chiara d'AssisiEPUB MOBI HTML
  • Meditazioni della Beata Madre Teresa di CalcuttaEPUB MOBI HTML
  • Madre Mia quanto sei bellaEPUB MOBI HTML
  • Con Maria la vita è bellaEPUB MOBI HTML
  • Con Maria verso GesùEPUB MOBI HTML
  • Il mio ideale Gesù figlio di Maria di p. Emilio NeubertEPUB MOBI HTML
  • L'anticristo di Vladimir Sergeevic SolovievEPUB MOBI HTML
  • Salita del Monte Carmelo di San Giovanni della CroceEPUB MOBI HTML
  • Maria e la sua armataEPUB MOBI HTML

Biografie di santi, Visioni, Profezie, Rivelazioni

  • La Misericordia Divina nella mia anima - Diario di Santa suor Faustina KowalskaEPUB MOBI HTML
  • L'Araldo del Divino Amore di Santa Gertrude di HelftaEPUB MOBI HTML
  • La vita di Maria della Beata Anna Caterina EmmerickEPUB MOBI HTML
  • La Passione di Nostro Signore della Beata Anna Caterina EmmerickEPUB MOBI HTML
  • Le visioni della Beata Anna Caterina EmmerickEPUB MOBI HTML
  • La Mistica Città di Dio di Suor Maria d'AgredaEPUB MOBI HTML
  • I sogni di San Giovanni BoscoEPUB MOBI HTML
  • Vita di Santa Margherita Maria Alacoque (scritta da lei stessa)EPUB MOBI HTML
  • I primi nove venerdì del mese - la grande promessaEPUB MOBI HTML
  • Diario di Santa Gemma GalganiEPUB MOBI HTML
  • Il diario della Beata Elisabetta Canori MoraEPUB MOBI HTML
  • Il diario mistico di Camilla BraviEPUB MOBI HTML
  • Diario di Louise Marguerite Claret De La ToucheEPUB MOBI HTML
  • Il libro della Grazia speciale - Rivelazioni di Santa Metilde di HackebornEPUB MOBI HTML
  • Le Rivelazioni di Santa Brigida di SveziaEPUB MOBI HTML
  • Amore per amore: diario di Suor Maria Costanza del Sacro CostatoEPUB MOBI HTML
  • Beata Marietta RubattoEPUB MOBI HTML
  • Beato Bartolo LongoEPUB MOBI HTML
  • Colui che parla dal fuoco - Suor Josefa MenendezEPUB MOBI HTML
  • Così lontani, così vicini - Gli angeli nella vita di Santa Gemma GalganiEPUB MOBI HTML
  • Cristo Gesù nella Beata Alexandrina da BalasarEPUB MOBI HTML
  • Il mistero del Sangue di Cristo - Suor Maria Antonietta PrevedelloEPUB MOBI HTML
  • Santa Gertrude Di Helfta di don Giuseppe TomaselliEPUB MOBI HTML
  • Vita della Serva di Dio Edvige CarboniEPUB MOBI HTML
  • Diario di Edvige CarboniEPUB MOBI HTML
  • Rimanete nel mio amore - Suor Benigna Consolata FerreroEPUB MOBI HTML
  • Il Sacro Cuore e il Sacerdozio. Biografia di Madre Luisa Margherita Claret de la ToucheEPUB MOBI HTML
  • Figlia del dolore Madre di amore - Alexandrina Maria da CostaEPUB MOBI HTML
  • Il piccolo nulla - Vita della Beata Maria di Gesu CrocifissoEPUB MOBI HTML
  • Beata Anna Schaffer: Il misterioso quaderno dei sogniEPUB MOBI HTML
  • Beata Chiara bosattaEPUB MOBI HTML
  • Beata Maria Candida dell'EucaristiaEPUB MOBI HTML
  • Fratel Ettore BoschiniEPUB MOBI HTML
  • Il cuore di Gesù al mondo di Suor Maria Consolata BetroneEPUB MOBI HTML
  • Madre Giuseppina BakhitaEPUB MOBI HTML
  • Beata Maria di Gesù Deluil-MartinyEPUB MOBI HTML
  • Serva di Dio Luigina SinapiEPUB MOBI HTML
  • Marie-Julie JahennyEPUB MOBI HTML
  • Marie Le ValleesEPUB MOBI HTML
  • I SS. Cuori di Gesù e di Maria. La salvezza del mondo, le loro apparizioni, promesse e richiesteEPUB MOBI HTML
  • La testimonianza di Gloria PoloEPUB MOBI HTML
  • Chiara Luce BadanoEPUB MOBI HTML
  • Madre Carolina VenturellaEPUB MOBI HTML
  • Madre SperanzaEPUB MOBI HTML

Novissimi

Patristica

  • Scritti dei primi cristiani (Didachè, Lettera a Diogneto, Papia di Gerapoli)EPUB MOBI HTML
  • I padri apostolici (S.Clemente Romano,S.Ignazio di Antiochia,Il Pastore d'Erma, S.Policarpo di Smirne)EPUB MOBI HTML
  • I padri della chiesa: Scritti di Sant'AgostinoEPUB MOBI HTML
  • I padri della chiesa: Sant'Agostino, la città di DioEPUB MOBI HTML
  • I padri della chiesa: Sant'Agostino, le confessioniEPUB MOBI HTML
  • I padri della chiesa: Clemente Alessandrino,Sant'Ambrogio, Sant'Anselmo, San Benedetto,San Cirillo di GerusalemmeEPUB MOBI HTML
  • I padri della chiesa: San Giustino, San Leone Magno, Origene, Cirillo d'Alessandria, San Basilio, Atenagora di Atene, Rufino di Aquileia,Guigo il CertosinoEPUB MOBI HTML
  • I padri della chiesa: San Giovanni CrisostomoEPUB MOBI HTML
  • I padri della chiesa: San Gregorio di NissaEPUB MOBI HTML
  • I padri della chiesa: Quinto Settimio Fiorente TertullianoEPUB MOBI HTML
  • I padri del deserto: Evagrio Pontico, Sant'Antonio AbateEPUB MOBI HTML
  • I padri esicasti : La preghiera del Cuore,Gregorio il sinaita,Niceforo il solitario, San Barsanufio e Giovanni, Pseudo MacarioEPUB MOBI HTML

Sacramenti e vita cristiana

Altri libri

  • La Divina Commedia (Inferno, Purgatorio, Paradiso) di Dante AlighieriEPUB MOBI HTML
  • La storia d'Italia di San Giovanni BoscoEPUB MOBI HTML
  • I testimoni di Geova di Don Vigilio Covi