Arquivo do blog

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

O patriarca das Índias Orientais, primaz da Índia,D. Filipe Neri Ferrão ,em Fátima, assinalou o “relacionamento muito especial” que teve com a “Senhora de Fátima”.

D. Filipe Neri Ferrão destaca tema em debate no Sínodo dos Bispos

Fátima, Santarém 13 out 2014 (Ecclesia) – O arcebispo de Goa e Damão (Índia), que preside à peregrinação internacional de outubro em Fátima, assinalou hoje a missão da família no “compromisso da fé” dos batizados e a sua importância na transmissão de valores na sociedade.
“É na família que o compromisso da fé é energizado e encorajado porque é a base da sociedade e o lugar onde as pessoas aprendem, pela primeira vez, os valores que as guiam durante toda vida”, disse D. Filipe Neri Ferrão, na homilia da Missa conclusiva das celebrações anuais do 13 de outubro.
O patriarca das Índias Orientais, primaz da Índia, alertou para as “rápidas e profundas transformações” na sociedade que provocam “um certo enfraquecimento ou mesmo abandono da fé na santidade do matrimónio” e colocam “em causa” o próprio conceito de família.
Na última peregrinação aniversária do ano, com o lema ‘Arrependei-vos porque Deus está perto’, o arcebispo destacou que a Igreja está “ativamente envolvida na promoção dos valores perenes de família” e apresenta como exemplo o Sínodo dos Bispos, que está a decorrer no Vaticano, “sinal eloquente deste profundo interesse”.
D. Filipe Neri Ferrão deixou uma breve reflexão, de três tópicos, sobre a missão da família cristã no mundo de hoje: “Viver, revelar e comunicar o Amor de Deus”.
“O casal cristão coopera na missão divina de dar e de proteger a vida e assim promove uma cultura da vida, colocando-se na contracorrente das atuais culturas da morte”, começou por revelar o arcebispo, destacando que a sua tarefa principal é a de “viver em comunhão, num constante empenho por fazer crescer o amor” entre todos os seus membros.
No segundo ponto, assinalou a colaboração e contributo da família cristã na construção do mundo, “transmitindo valores e virtudes que lhe são tão próprios”.
“Os cidadãos saem da família e nela encontram a primeira escola daquelas virtudes humanas e sociais que irão definir o seu contributo para o desenvolvimento da mesma sociedade”, desenvolveu o prelado.
Por último, aos presentes no Santuário da Cova da Iria, o arcebispo indiano destacou a importância da família cristã, Igreja doméstica, que participa “profundamente na vida e na missão da Igreja”.
O presidente da celebração apresentou-se como um “peregrino” da Índia longínqua, “mais especificamente daquele que foi, até meados do século XX, o Estado da Índia Portuguesa”.
O arcebispo de Goa e Damão recordou ainda que depois de Jesus e a cruz, a segunda imagem “ligada aos céus” na sua infância, por influência da mãe, foi a imagem de Maria, por isso assinalou o “relacionamento muito especial” que teve com a “Senhora de Fátima”.
“Hoje, o meu coração transborda de alegria por me encontrar neste espaço bendito”, acrescentou D. Filipe Neri Ferrão.
As estatísticas do Santuário de Fátima contabilizam 10 bispos e 310 sacerdotes nesta celebração