BEATO CARLO ACUTIS , A EUCARISTIA É A MINHA AUTO -ESTRADA PARA O CÉU

 


Arquivo do blog

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Venerável Pio XII : Sobre o monte Calvário o Redentor teve aberto o lado, do qual fluiu seu sangue sagrado, que no decurso dos séculos mana como alagadora torrente, para purificar as consciências dos homens, expiar os seus pecados e distribuir-lhes os tesouros da salvação. Para a execução de tão sublime ministério são destinados os sacerdotes. Esses, de fato, não somente conciliam e comunicam a graça de Cristo aos membros do seu corpo místico, mas são também os órgãos de desenvolvimento do mesmo corpo místico, pois que eles devem dar sempre novos filhos à Igreja, educando-os, cultivando-os e guiando-os. Sendo eles os "dispenseiros dos mistérios de Deus" (1Cor 4,1), devem servir a Jesus Cristo com perfeita caridade e consagrar todas as suas forças à salvação de seus irmãos.

EXORTAÇÃO APOSTÓLICA DO PAPA PIO XII

MENTI NOSTRAE

AO CLERO DO MUNDO CATÓLICO
SOBRE A SANTIDADE DA VIDA SACERDOTAL

A todo o clero,
em paz e comunhão com a Sé Apostólica 

 http://farm4.static.flickr.com/3315/3437373155_2c145b25b1_z.jpg
  http://discoverthefaith.files.wordpress.com/2007/12/holy_thursday_last_supper.jpg

II. A SANTIDADE NO MINISTÉRIO SAGRADO

54. Sobre o monte Calvário o Redentor teve aberto o lado, do qual fluiu seu sangue sagrado, que no decurso dos séculos mana como alagadora torrente, para purificar as consciências dos homens, expiar os seus pecados e distribuir-lhes os tesouros da salvação.
http://3.bp.blogspot.com/_1vrSlZyefjc/Sjw2j5pJjtI/AAAAAAAAAJY/dPhpvuKAiVU/s400/missa.jpgO sacerdote, dispenseiro dos mistérios de Deus

55. Para a execução de tão sublime ministério são destinados os sacerdotes. Esses, de fato, não somente conciliam e comunicam a graça de Cristo aos membros do seu corpo místico, mas são também os órgãos de desenvolvimento do mesmo corpo místico, pois que eles devem dar sempre novos filhos à Igreja, educando-os, cultivando-os e guiando-os. Sendo eles os "dispenseiros dos mistérios de Deus" (1Cor 4,1), devem servir a Jesus Cristo com perfeita caridade e consagrar todas as suas forças à salvação de seus irmãos. São eles os apóstolos da luz: por isso devem iluminar o mundo com a doutrina do evangelho, e ser tão fortes na fé que a possam comunicar aos outros, e seguir os exemplos e ensinamentos do divino Mestre, para poderem conduzir todos a ele. São os apóstolos da graça e do perdão; devem por isso consagrar-se totalmente à salvação dos homens e atraí-los ao altar de Deus, para que se nutram do pão da vida eterna. São os apóstolos da caridade: devem, portanto, promover as obras de caridade, tanto mais urgentes hoje, que cresceram enormemente as necessidades dos indigentes.
http://www.occesussex.co.uk/384_Jesus_Gives_Communion.jpgAs várias formas do apostolado moderno

56. O sacerdote deve esforçar-se ainda a fim de que os fiéis compreendam com justeza a doutrina da "comunhão dos santos", sintam-na e vivam-na; para este fim deve servir-se de obras tais como o "Apostolado litúrgico" e o "Apostolado da oração". Deve, do mesmo modo, promover todas as formas de apostolado que hoje, por especial necessidade do povo cristão, são de tanta importância e de tanta urgência. Esforce-se, assim, pela difusão do ensino catequético, pelo desenvolvimento e difusão da "Ação católica" e da "Ação missionária"; e, mediante o trabalho dos leigos, bem preparados e formados, dê incremento às iniciativas de apostolado social que o nosso tempo reclama. 
http://3.bp.blogspot.com/_QsV16KSX2NE/RvP4UC5J5zI/AAAAAAAAAD4/iXJo68bLPn8/s320/msgrandrade_elevation2.jpghttp://www.archconfraternity.com/images/Mass-for-Holy-Souls.jpgExercê-lo em união com Cristo

57. Recorde-se, entretanto, o sacerdote que o seu ministério será tanto mais fecundo, quanto mais estreitamente estiver ele unido a Cristo e for guiado no seu trabalho pelo espírito de Cristo. A sua atividade não se reduzirá, então, a um movimento e a uma agitação puramente naturais, que afadiguem o corpo e o espírito e exponham o próprio sacerdote a transviações ruinosas para si mesmo e a Igreja. Mas o seu trabalho e as suas fadigas serão fecundados e corroborados pelos carismas de graça que Deus nega aos soberbos, mas largamente concede àqueles que, trabalhando com humildade na "vinha do Senhor", não buscam a si mesmos e o próprio proveito (1Cor 10,33) mas a glória de Deus e a salvação das almas. Fiel, portanto, ao ensinamento do evangelho, não confie em si mesmo nem nas próprias forças, mas deposite a sua confiança no auxílio do Senhor: "Nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento" (1Cor 3,7). Quando for assim inspirado e organizado o apostolado, não poderá deixar de suceder que o sacerdote atraia a si, com força quase divina, o espírito de todos. Reproduzindo nos seus costumes e na sua vida como que uma viva imagem de Cristo, todos aqueles que o buscam como um mestre reconhecerão, movidos por íntima persuasão, que ele não pronuncia palavras suas, mas palavras de Deus, e que não age por virtude própria, mas por virtude de Deus. "Se alguém fala, sejam palavras de Deus; se alguém exerce o ministério, seja conforme a força que Deus der" (1Pd 4,11). No tender à santidade e no desempenhar-se, com suma diligência, do seu ministério, deve o sacerdote esforçar-se por representar Cristo tão perfeitamente, que possa com toda modéstia repetir a palavra do apóstolo das gentes: "Sede meus imitadores, como também eu o sou de Cristo" (1Cor 4,16).